O Procon Assembleia deu um sabor a mais para empresários e clientes, em 10 restaurantes, na manhã desta quinta-feira, 1º, das 11h às 14h, durante uma ação educativa. A abordagem faz parte do programa ‘Procon mais próximo do consumidor’ desenvolvido pelo órgão de Defesa do Consumidor ligado ao Poder Legislativo.

Durante as visitas aos estabelecimentos, que terá continuação nos próximos dias, os técnicos e advogados do Procon Assembleia orientaram proprietários, gerentes e até mesmo consumidores a respeito dos direitos e deveres de cada um na relação de consumo, além de apresentarem sobre o serviço de palestras proferidas pelo órgão às empresas interessadas.

A gerente Cláudia Noronha, de um restaurante localizado no bairro São Francisco, questionou mais sobre a realização de palestras nas empresas. Para ela, vale a pena ter esse tipo de serviço para poder identificar possíveis erros cometidos dentro da empresa. “Geralmente a gente recebe muitos elogios, mas não custa nada um profissional vir e fazer uma palestra, falar com os funcionários sobre tudo que envolve o restaurante”, relatou, dizendo que apresentará a proposta ao proprietário do estabelecimento.

Em outro restaurante, o gerente Antônio Venzel recebeu e até ajudou a colar o adesivo com o número do Procon Assembleia na entrada do local. Contou sobre a importância de se conhecer mais sobre os caminhos certos a serem tomados nessa relação entre consumidor e fornecedor. “Quando se fala em Procon, pensamos no contato só do cidadão. Vocês [o Procon Assembleia] informando sobre essa abertura para o dono do estabelecimento se atualizar sobre a lei, é importante”, frisou.

Outras ações, como essa em restaurantes na Capital, acontecerão nesta sexta-feira (2), no dia 15, 16, 22 e 23 de fevereiro, no horário das 11h às 14h. Nos dias 27 e 28 deste mês, a equipe irá em estabelecimentos que vendem café da manhã, no horário das 8h às 10h.

A finalidade, de acordo com a advogada do Procon Assembleia, Angria Kartiê, é informar a todos, tanto consumidor quanto empresa, sobre direitos na vigência do Código de Defesa do Consumidor. “E a gente adesiva o estabelecimento com o número para contato, caso o consumidor queira fazer algum tipo de denúncia, alguma reclamação ou até mesmo tirar dúvidas e esclarecimentos sobre algum assunto”, disse.

Segundo a advogada, informados sobre a legislação, a probabilidade para solução de algum problema no estabelecimento é maior. “Muitas coisas podem ser resolvidas na empresa sem a necessidade de ir para o judiciário ou administrativo, no caso em ir ao Procon”, esclareceu.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR