O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima, deputado Jalser Renier (SD), abriu na manhã desta terça-feira, 20, os trabalhos do quarto ano legislativo da 7ª Legislatura, fazendo um breve balanço dos três últimos anos em que está à frente da Casa, e aproveitou para anunciar que futuras ações Poder Legislativo serão voltadas para impulsionar o desenvolvimento do Estado.

“Estamos aqui para fiscalizar e fazer leis que contribuam para o desenvolvimento do nosso Estado, e a atual legislatura tem se empenhado em ampliar a participação popular. Analisamos e aprovamos quase 900 proposições no ano passado. Nesta gestão fizemos da Assembleia um elo, de verdade, com o povo. Um de nossos compromissos é a continuidade dessas ações parlamentares e a ampliação desses debates democráticos”, lembrou, ao ressaltar que a Assembleia ao Seu Alcance e os programas Abrindo Caminhos e a Escola do Legislativo, que leva educação, lazer e cultura para vários municípios tem como finalidade despertar nas pessoas esse compromisso da cidadania e a consciência de que as transformações sócio-políticas são resultados de leis e ações emanadas do Poder Legislativo.

Durante a solenidade, a chefe do Poder Executivo, Suely Campos (PP), fez uma prestação de contas em que abordou as dificuldades enfrentadas, as conquistas e as próximas ações que devem impactar no desenvolvimento do Estado.  Ela aproveitou para anunciar que é pré-candidata ao governo nas eleições deste ano.

Suely usou uma expressão de guerra para fazer a prestação de conta, com intuito de mostrar como encontrou o Estado.  “Quando assumi, encontrei terra arrasada, com apenas R$ 91 mil em caixa, o salário dos servidores em atraso, uma dívida de quase R$ 2 bilhões e outros R$ 100 milhões de precatórios em atraso. Já começamos a trabalhar no vermelho, tendo que cobrir déficit que não criamos, e isso impacta no nosso ajuste fiscal até hoje”, alegou, ao ressaltar que o pior impacto vem dos R$ 22 milhões que são retirados todos os meses das receitas do Estado para pagar empréstimos.

Esse ‘abismo’ financeiro, segundo ela, não a fez esmorecer. “Pelo contrário, nos deu mais força e coragem para enfrentar o desafio de governar, em meio à maior crise econômica da história do Brasil”, garantiu, ao salientar que o maior problema é enfrentar a Oposição, que ela classificou como “ardilosa” porque quer denegrir a imagem do governo e atrapalhar Roraima.

Apesar de todas essas mazelas, Suely Campos garante que as sementes que plantou estão dando frutos, como a certificação internacional para exportação da carne, asfaltamento da RR-210 e a ampliação, reforma e revitalização das unidades de saúde e de educação. “O fortalecimento do setor produtivo é a principal meta de governo, para alcançarmos o sonho de uma economia forte, baseada na agropecuária, gerando riquezas e oportunidades para todos”, disse, ao citar entre os feitos a regularização fundiária, a desburacratização na emissão do licenciamento ambiental, o status Livre da Febre Aftosa, investimentos na infraestrutura, na saúde e na educação.

A solução para garantir a segurança pública, um dos maiores gargalos enfrentados e que aflige toda a população, segundo Suely Campos é uma linha tênue, um sonho que ainda está por vir. “Esse um desafio para todos. O Governo do Estado tem feito a sua parte, equipando as nossas polícias, e estamos na expectativa do apoio prometido pelo governo federal e guarnecer nossas fronteiras”, disse.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR