Os deputados que compõem a Comissão de Viação, Transporte e Obras, da Assembleia Legislativa, se reuniram nesta quarta-feira, 11, para deliberar sobre a denúncia de uma obra inacabada e paralisada na região da Taboca, que fica no município do Cantá, a 38 quilômetros de Boa Vista.

A denúncia foi feita por meio de ofício pelos moradores daquela localidade, e diante da gravidade do problema os parlamentares decidiram fazer uma diligência à Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinf) para buscar mais informações sobre a obra e, de posse das informações ver o que é possível fazer para amenizar o sofrimento dos que moram e necessitam transitar e escoar a produção.

“Vamos fazer essa primeira diligência para saber a motivação da paralisação dessa obra. Diante do que será apresentado, se for o caso, a comissão vai de deslocar até a região da Taboca para verificar junto aos moradores a situação, e apurar efetivamente se há alguma irregularidade e, havendo irregularidade, levantar quem realmente são os culpados”, disse o deputado Oleno Matos (PCdoB), presidente da Comissão.

O que Oleno Matos espera, já que os ofícios à Seinf foram enviados hoje, é que a Secretaria responda em tempo hábil para que a comissão tome as providências que entender pertinente e, se for o caso, levar a situação até ao plenário da Assembleia Legislativa.

“O que sabemos é que a obra paralisada se trata de uma vicinal, mas não sabemos o que a fez paralisar. Precisamos que a Seinf nos preste essas informações, para que de posse delas, possamos fazer alguma coisa. Não sei dizer quantas pessoas estão sendo prejudicadas com a situação porque a denúncia foi feita de forma genérica pelos moradores, mas dentro da diligência que vamos fazer saberemos quantos cidadãos roraimenses estão sendo prejudicados”, reforçou.

Como o período chuvoso se aproxima, Matos crer que essa seja a grande preocupação dos moradores desta vicinal. “O inverno está chegando e a gente sabe que durante o inverno fica quase impossível fazer qualquer manutenção. Essa é a grande preocupação da comunidade, que já vem tendo problema com relação a não execução da obra e, certamente, face a proximidade do inverno, não terá tempo hábil para o término dessa manutenção”, disse.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR