A Escola Carlos Drummond de Andrade, localizada na rua Pastor Almir Nogueira Guerra, no bairro Pricumã, receberá durante esta semana o projeto ‘Educar é Prevenir’, desenvolvido pelo Núcleo de Promoção, Prevenção e Atendimento às Vítimas de Tráfico de Pessoas da Procuradoria Especial da Mulher, da Assembleia Legislativa de Roraima. Hoje, 16, a equipe da Procuradoria entregou o material que será trabalhado na instituição de ensino até o dia 20 de abril.

Segundo a coordenadora pedagógica da Escola Carlos Drummond de Andrade, Liara Paula Garcia, mais de 500 alunos participarão dos trabalhos. Ela afirma ainda que o projeto será mais uma ferramenta pedagógica desenvolvida na escola. “Essa ação é extremamente importante porque nosso colégio recebe tanto os alunos brasileiros, quanto os estrangeiros, e também o Estado faz fronteira com dois países que são a Venezuela e a Guiana. Orientação e educação preventiva podem salvar vidas”, completou.

Esta é a 16ª Escola a ser atendida pelo projeto, e segundo o assessor técnico da Procuradoria Especial da Mulher, Glauber Batista, a capacitação abrange toda a comunidade escolar, bem como a equipe da parte administrativa da unidade de ensino. “Por meio deste material informativo acerca do tema abuso e exploração sexual e tráfico de pessoas em Roraima, vamos capacitar os professores, funcionários e alunos sobre o tema”, disse.

Ao final dos trabalhos será realizada uma roda de conversa com as entidades que integram a Rede de Proteção e Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual, como Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF), Conselho Tutelar, Vara da Infância e da Juventude e Secretaria Estadual de Educação (SEED).

A próxima escola receber o programa será a Maria das Dores Brasil, situada na avenida das Guianas, bairro 13 de Setembro em Boa Vista. Lá a programação está prevista para acontecer de 23 a 27 de abril.

O que é – O Educar é Prevenir tem como finalidade o efetivo empoderamento da comunidade escolar (gestores, corpo discente e docente, servidores efetivos e terceirizados, bem com toda comunidade escolar em geral). As informações capacitam para atuar no enfrentamento ao tráfico de pessoas para fins de exploração sexual no Estado de Roraima, gerando conhecimentos, habilidades e mudando concepções e práticas.

 

Por Tarsira Rodrigues

SupCom/ALE-RR