Manter o exame pré-natal em dia, bem como a alimentação e todos os demais cuidados durante a gravidez pode salvar a vida de gestantes e dos filhos. É pensando na prevenção de problemas durante o período gestacional e na hora do parto, que a deputada Aurelina Medeiros (PODE), apresentou na Assembleia Legislativa de Roraima, projeto de lei que prevê a realização da ‘Semana Estadual de Combate a Mortalidade Materna em Roraima’. Conforme o texto, as atividades serão executadas na semana do dia 28 de maio, mesmo período que acontece a Semana Nacional de Combate à Mortalidade Materna, amparada pela Portaria nº 663/94 do Ministério da Saúde (MS).

Aurelina sustenta a ideia afirmando que no Brasil se trabalha muito a prevenção da morte das crianças, o que ela considera fundamental, porém é necessário cuidar das mães também. “No país e em Roraima existem um índice representativo de mortalidade materna. Durante a Semana Estadual, vamos trabalhar justamente a prevenção dessas mortes, e identificar os motivos pelos quais essas mães não tiveram condições de realizar um acompanhamento médico satisfatório”, defendeu a autora da proposta.

Ela explica ainda que nesses dias serão realizadas atividades para conscientizar a população e promover um amplo debate sobre o tema, envolvendo poder público e sociedade civil. “Queremos despertar ainda mais o interesse pelos cuidados médicos para essas mães, principalmente aquelas que vivem em municípios do interior de Roraima, para que possam manter em dia as consultas médicas durante a gestação, isso garante a vida delas e das crianças”, reforçou Aurelina.

Conforme o Ministério da Saúde, morte materna é o óbito de uma mulher durante a gravidez ou até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração. É causada por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela. Não é considerada morte materna a que é provocada por fatores acidentais ou incidentais. Em Roraima dados da Sesau (Secretaria de Estado da Saúde) apontam que de 2015 até agora, foram registrados 22 mortes maternas, sendo que a maioria delas ocorreu no interior do Estado.

Quando aprovado, o texto prevê que trabalhos da Semana Estadual de Prevenção a Mortalidade Materna devem ser coordenados pelo Poder Executivo. O projeto de Aurelina Medeiros está em tramitação nas Comissões Permanente da Assembleia e a proposta tão logo que esteja pronta para votação será apreciada em plenário.

Por Tarsira Rodrigues

SupCom/ALE-RR