Nos últimos dias, nas redes sociais e imprensa local, várias pessoas denunciaram o atraso no fornecimento das refeições às mães internadas na única maternidade de Roraima, o Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazaré. Após receber informações como essa, o deputado Masamy Eda (PSD) apresentou ao Executivo uma indicação para regularização do fornecimento da alimentação as pacientes, acompanhantes e servidores da maternidade. “É um pedido antigo e não só meu, mas também de vários parlamentares, por ouvintes da rádio, por pessoas que acompanham as redes sociais e mães que ali estão. Peço que a alimentação seja servida no horário certo, pois tem atrasado e isso tem prejudicado principalmente as pacientes”, esclareceu.

Já em outra unidade de saúde, o HGR (Hospital Geral de Roraima), a demanda apresentada por usuários e pelo Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Roraima, segundo Masamy Eda, é quanto ao desabastecimento de materiais básicos e cirúrgicos, além de medicamentos. “Esse caso é sério, pois venho pedindo desde ontem ao secretário de Saúde para que olhe com seriedade esse pedido feito por mim”, disse ele.

Interior – Fora da Capital, as necessidades apresentadas ao parlamentar giram em torno da falta de condições de trafegabilidade em pontes e vicinais em diversos municípios do interior. Como exemplo, o parlamentar citou a ponte sobre o igarapé do Grotão, na Vila Samaúma, região do município de Mucajaí, com sede a 55 quilômetros de Boa Vista. “É uma ponte antiga de madeira. Estive no lugar e está uma precariedade, de difícil acesso. É o começo do inverno e as pessoas utilizam para escoar produção e para o transporte escolar”, complementou o deputado.

Ao Sul do Estado, na cidade de São João da Baliza, 352 quilômetros de distância da Capital, os moradores da região pediram apoio ao deputado para que intermedeie junto ao Executivo a recuperação da vicinal 26, Zona Rural daquela região. “Como vice-presidente da Comissão de Viação e Obras, da Assembleia Legislativa, recebo muitos apelos da população. Está chegando o inverno e a situação pode ficar muito ruim”, explicou Eda.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR