Fotos: SupCom ALERR

Como parte das ações do mês das mães, o programa Abrindo Caminhos da Assembleia Legislativa de Roraima promove neste sábado, 19, um Curso de Panificação, manhã e tarde, e uma Oficina de Flores, que aconteceu pela manhã, para mães de alunos que participam das atividades do Abrindo Caminhos. São 40 participantes e a maioria faz cursos profissionalizantes para ampliar conhecimentos e aumentar as chances para entrar no mercado de trabalho. Mas em meio a esse celeiro de buscas há aquelas que querem ocupar a mente para afastar a depressão.

É o caso de Luciana Carvalho de Oliveira, 35 anos, moradora do bairro Cambará, universitária e mãe de um filho de seis anos, o João Lucas, que prática Jiu-Jitsu no Abrindo Caminhos. É claro que ela pensa em colocar em prática e ganhar dinheiro, mas o principal motivo que a levou a fazer o curso é por sofrer com depressão, a doença do século.

“Passei a ter depressão logo após o meu parto, depois de uma discussão com o pai do meu filho, que muito queria uma menina. Venho aos cursos do Abrindo Caminhos para conhecer pessoas, fazer novas amizades e fugir da depressão. Quando chego aqui me sinto muito bem. Aqui eu tenho outra família, pois sou acolhida desde a entrada até a saída. É tudo o que eu preciso”, contou.

Esse é o segundo curso que Luciana se inscreve. “No primeiro curso aprendi a fazer ovos de Páscoa e até ganhei uma graninha, vendendo aos meus vizinhos. O de panificação também quero colocar em prática, pois já faço sob encomenda bolos e salgados para festas. Quis fazer esse curso em outra instituição, mas as minhas condições financeiras não permitiam. Aqui no Abrindo Caminhos é uma porta aberta não somente para os filhos, mas também para os pais”, afirmou.

A logística da dona de casa Ana Paula da Conceição Nascimento, 33 anos, para fazer o curso de panificação é digna de um filme. Ela mora no bairro Cidade Satélite, mas como não tinha com quem deixar a filha de 7 anos, traçou uma estratégia: dormiu de sexta para sábado no trabalho do marido, para que ele cuidasse da garota até ela retornar do curso. “Hoje sai cedo para chegar no horário. Estou com os meus pés enlameados, mas todo esse esforço valerá a pena, porque no futuro será uma fonte de renda para ajudar em casa. Já tinha pensado em fazer um curso de panificação, mas o problema era o financeiro porque esse curso é caro. Esse está sendo uma benção, ainda mais que todo o material é gratuito”, disse, ao relatar que está pensando no retorno financeiro que terá quando colocar em prática o aprendizado”, afirmou.

A professora Elizabete Aguiar tem 49 anos, e há mais de 20 trabalha na área de panificação e confeitaria, e garante que o retorno financeiro é bom. Há mais de um ano ministra curso no Abrindo Caminhos e aproximadamente 100 alunas receberam as dicas dela. “É uma satisfação muito grande saber que estamos contribuindo para que essas mães tenham um ganho extra. O segredo para sair tudo gostoso é fazer com carinho e paciência”, contou.

Oficina de Flores – As dez mães inscritas na Oficina de Flores, ministrada pela instrutora Aline Félix Ferreira, 26 anos, estão todas desempregadas e veem na oportunidade a chave para o empreendedorismo. “Para mim é muito gratificante somar com o Abrindo Caminhos ensinando um pouco do que sei”, disse Aline, ao salientar que o artesanato para ela é um grande hobby.

A coordenadora do Abrindo Caminhos, Viviane lima, disse que mais de 150 mães de alunos já fizeram cursos oferecidos pela instituição. “Avalio esses cursos como uma oportunidade para as mães, que poderão ter uma renda extra sem sair de casa, com a possibilidade de cuidar dos filhos e da família. Assim está sendo nossa manhã de sábado que, além de cheirosa e gostosa, está florida”, disse, ao ressaltar que a coordenação estuda a possibilidade de repetir esses cursos.

Cristina Simeão Araújo, 38 anos, casada, dois filhos, está desempregada. Como já costuma organizar as festas da família e dos amigos, viu na oficina uma forma de ampliar o leque de conhecimento. “Estou pretendendo trabalhar com decoração de festa, então esse curso está sendo um ótimo caminho. E a partir de agora, todos os cursos oferecidos pelo Abrindo Caminhos, eu vou fazer”, afirmou.

Marilena Freitas

SupCom ALERR