Foto: SupCom ALERR

Cerca de mil pessoas são beneficiadas, direta e indiretamente, com as ações do Poder Legislativo em Mucajaí. Após a instalação de núcleos no interior do Estado, a Assembleia Legislativa de Roraima tem modificado a rotina de crianças e adultos por meio de programas como o Abrindo Caminhos e a Escola do Legislativo.

Um exemplo é Nauany Pinheiro, que aos 9 anos viu o sonho de ser bailarina se tornar realidade. Ela é moradora de Mucajaí, Centro-Sul do Estado, a 55 quilômetros de Boa Vista. Inscrita no programa Abrindo Caminhos, a menina pratica aulas de balé clássico duas vezes por semana com a professora Lilian de Paiva. “Eu queria muito, mas meus pais não tinham condições de pagar o balé”, disse a menina que agora aproveita a oportunidade, de forma gratuita.

Aos 19 anos e com 10 anos de experiência na área, Lilian de Paiva acompanha a evolução de cada menina da turma. Duas vezes por semana, ela pega a estrada entre Boa Vista e Mucajaí para ensinar a arte da dança.

São seis turmas divididas entre crianças e adolescentes de 5 a 17 anos. “As meninas daqui são dedicadas e para cada idade há uma metodologia diferente. Faço cronogramas, elas acompanham tudo e pegam super bem”, frisou a professora.

Os moradores do município têm acesso a aulas de balé, jiu-Jitsu, futebol, zumba e coral, como parte do programa Abrindo Caminhos. Para quem deseja capacitação, há ainda os cursos de inglês, espanhol e informática, além da oferta de cursos preparatórios para concursos públicos.

Para Helena Alves, de 11 anos, toda ida ao núcleo tem rendido aprendizado e crescimento pessoal, principalmente quando se trata das aulas de informática. A pré-adolescente não sabia ligar um computador e hoje, com dois meses de curso, já consegue formatar documentos, pintar e até mesmo fazer tabelas. “Gostei muito do curso e do nosso instrutor, porque ele ensina a gente bem”, resumiu.

Na modalidade, de acordo com o instrutor Anderson dos Santos, são 192 cursistas divididos em 12 turmas. Para ele, a palavra evolução é a marca destas  crianças, jovens e adultos que procuraram as aulas para conhecerem o mundo virtual. “Em apenas dois meses, crianças que não tinham nenhum conhecimento sobre informática, hoje já sabem digitar textos, fazer formatações, ligar e desligar computador, trabalhar com internet, recursos que antes eram difíceis para ele”, frisou.

 

Yasmin Guedes

SupCom ALERR