Maior parte dos atritos entre empresas e consumidores ocorre por desconhecimento do Código de Defesa do Consumidor

 

Foto: SupCom ALERR

 

O Procon Assembleia realizou na manhã deste sábado (07) uma palestra direcionada aos funcionários da farmácia de manipulação Elifarma, para levar informações sobre o Código de Defesa do Consumidor (CDC). A ação beneficia a população atendida, pois muitos direitos são desrespeitados por desconhecimento de quem está do lado de lá do balcão.

Durante a palestra, o advogado do Procon Assembleia, Samuel Weber, abordou os casos mais corriqueiros envolvendo as demandas sobre os direitos do consumidor e tirou dúvidas dos funcionários.

A recepcionista da empresa, Maria Caroline Carvalho, de 21 anos, disse que a palestra desmistifica o CDC. “Como funcionária, eu visto a camisa da empresa e respondo por ela. Por isso, é importante conhecer o Código para não cometermos erros”, disse.

Uma das dúvidas esclarecidas durante a palestra está relacionada à troca de produtos. “Não sabia que o Procon amparava o fornecedor nas trocas de produtos com relação à cor. Sabia apenas das trocas por defeito do produto”, relatou.

A advogada da empresa, Carolina Oestereich, ressaltou que os atritos entre consumidor e fornecedor ocorrem por falta de informação. “Neste sentido, treinar os nossos colaboradores é bom porque evita os problemas, dando a eles uma autonomia para resolver a situação sem gerar maiores transtornos”, disse.

A proprietária da Elifarma, Eliana de Souza e Silva, ficou sabendo do trabalho realizado pelo Procon Assembleia porque precisou da instituição para resolver um impasse relativo ao Código de Defesa do Consumidor. No entendimento dela, era o momento oportuno para treinar os colaboradores.

“Com esse treinamento, ganha a empresa e todos os nossos clientes, porque diante de um problema, vamos saber qual é a solução, ou melhor, talvez nem tenhamos problemas no futuro”, observou.

A diretora do Procon Assembleia, Eumária Aguiar, disse que um dos papéis do órgão é levar informações para os consumidores e fornecedores, com o intuito de equilibrar as relações de consumo. “Viemos contribuir com a empresa, que já tem um trabalho de excelência, para que possa crescer ainda mais com relação ao direito do consumidor”, afirmou.

Marilena Freitas

SupCom ALE-RR