Ritmos antes restritos às pessoas mais ricas são disponibilizados gratuitamente pelo projeto Abrindo Caminhos

Foto: SupCom ALE-RR

A pequena Laura Sampaio, de 8 anos, sempre foi apaixonada pela dança e no projeto Abrindo Caminhos, da Assembleia Legislativa,  conseguiu realizar um grande sonho: dançar balé. “Eu fazia aulas de ginástica em outra escola, mas vi a propaganda do Abrindo Caminhos na televisão e pedi para a minha mãe me inscrever. Hoje tenho certeza que gosto mais do balé que de ginástica”, explica a garota que faz aulas desde o ano passado e diz que pretende seguir carreira como bailarina.

Laura é uma das 550 crianças e adolescentes que fazem aulas de balé ou jazz, de forma gratuita. O número mostra que aos poucos, a prática de alguns ritmos, antes restritos às pessoas mais ricas, está cada vez mais democrática.

Arte de movimentar expressivamente o corpo, a dança sempre esteve presente na vida das pessoas, pois acompanha a humanidade ao longo da sua história. O balé é uma dança que requer bastante prática e entre os movimentos exigidos está principalmente a leveza, harmonia, a postura ereta, elevação dos membros superiores e a simetria dos bailarinos. A professora Isnaíra Menezes, ressalta que a dança oferece vários benefícios. “Um deles, que é logo perceptível, é a concentração, bem como o equilíbrio e a disciplina dos alunos tanto nas aulas como em casa”.

Proveniente de uma fusão de ritmos, englobando também princípios do balé clássico, o jazz proporciona diversos benefícios para a pequena Lauana Fontele, de 6 anos, mesmo após pouco tempo frequentando as aulas. “Eu sempre gostei muito de dançar, antes de conhecer o Abrindo Caminhos, eu dançava no meu quarto, hoje danço com as minhas amigas e ainda pratico atividade física com ajuda do professor”, explica.

Para a mãe de Lauana, a autônoma Ana Paula Costa, as aulas estão ajudando a filha em todos os sentidos, e os resultados já são perceptíveis. “Ela conta os dias para participar das aulas que a estão ajudando na postura, na coordenação motora e na saúde de um modo geral”, destaca a Ana Paula.

Apesar de não ser muito popular, o jazz vem conquistando adeptos em vários lugares do mundo. O professor da modalidade, Wellington Souza, explica que o programa é um incentivo para quem está em busca de uma nova dança de forma gratuita. “O jazz infantil é uma modalidade pouco difundida, mas aqui no Abrindo Caminhos a gente oferece isso às crianças. Não é uma modalidade barata e quem tiver a chance tem que aproveitar”, conta.

Atualmente o balé é a modalidade mais procurada na instituição. Conforme a coordenadora do programa, Viviane Lima, a intenção é atender a todos, tanto por meio da dança como do esporte. “Nós fazemos o possível para que as nossas atividades façam a diferença na vida dos nossos alunos”, afirma a coordenadora.

Além do balé e do jazz, o programa oferece a população aulas de jiu-jitsu, futebol, informática, ginastica rítmica, coral e teatro. Quem tiver interesse pode procurar a sede da ação. O Abrindo Caminhos fica localizado na avenida São Sebastião, 883 – bairro Cambará. Mais informações pelo telefone 0800-095-0047.

Jéssica Sampaio

26.07.2018