Nesta segunda-feira (25) é comemorado o Dia Nacional do Doador de Sangue, uma homenagem a tantos anônimos que salvam vidas diariamente, com um simples ato de solidariedade. Para reforçar essa atitude solidária no Estado, a Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) propôs políticas, por meio de leis, para beneficiar doadores e incentivar que mais pessoas entrem nessa causa.

O militar Adriel Souza, de 20 anos, tem esse hábito solidário há dois anos, motivado pela possibilidade de ajudar outras pessoas. “Eu conheço algumas pessoas que já necessitaram de doação de sangue. Eu nunca passei por essa experiência, mas acredito que seja uma situação muito ruim, não ter o seu sangue para receber na hora que mais precisa”, compartilhou.

Ele faz parte dos 63 mil doadores cadastrados no Hemoraima (Centro de Hemoterapia e Hematologia de Roraima), unidade responsável pela captação e distribuição de sangue.  A instituição atende as unidades de saúde da capital, interior e da rede privada, mas a dificuldade é que a maioria das pessoas registradas na unidade não doa com frequência. Mensalmente são feitas até 1.100 doações, somando até 13 mil bolsas por ano.

Atualmente, o Hemoraima possui a meta diária de coletar 50 bolsas de sangue por dia. Mas, segundo o gerente de coleta de sangue, Isaías Magalhães, nas últimas semanas, houve uma queda no número de doações para cerca 30 por dia. “Isso é preocupante porque o nosso estoque vai baixando, na medida que aquelas bolsas estocadas vão entrando próximo na data de validade. Estamos chegando no final do ano, a procura está baixa. Fica aqui o nosso apelo, para que a população venha fazer a sua doação”, explicou.

Políticas de incentivo

Devido a este cenário preocupante, o Poder Legislativo aprovou leis que propiciam benefícios aos doadores, incentivando a prática. Uma das leis estaduais mais recentes em vigor é a nº 1.235/19, que concede meia-entrada aos doadores de sangue em eventos esportivos e culturais. Eles também têm preferência em estabelecimentos comerciais, bancos e casas lotéricas. A iniciativa foi do deputado Neto Loureiro (PMB), para que as doações virem um hábito, e não ocorram apenas em casos de urgência ou por razões pessoais.

Para chamar atenção da sociedade sobre doações de sangue, com palestras, propagandas e campanhas, existe a Lei 1.014/2015, para celebrar no dia 14 de junho, o Dia Estadual do Doador de Sangue. A proposta é do deputado Jalser Renier (SD) e do ex-deputado Naldo da Loteria.

E para criar o hábito de doar sangue e medula óssea desde cedo, existe a Lei nº 1.188/2017, que criou o “Programa Doador Solidário do Amanhã”. A ideia é que sejam promovidas palestras para crianças e adolescentes, nas escolas públicas e privadas, proposta de autoria da deputada Lenir Rodrigues (Cidadania).

Outra lei é a nº 167/1997, que garante aos doadores de sangue a isenção de taxa de inscrição em concursos públicos estaduais, de autoria da ex-deputada Rosa Rodrigues.

Uma outra proposta para fortalecer as atividades de incentivo a doações de sangue, é um projeto de lei que institui a campanha Junho Vermelho, que poderá ser incluída no calendário do Estado. A matéria foi aprovada neste mês, de autoria da deputada Ione Pedroso (SD) e o próximo passo será a análise pelo Poder Executivo.

Quem deseja doar

 

Para se tornar um doador, a pessoa deve estar bem de saúde e pesar mais que 50kg. No caso de adolescentes a partir de 16 anos de idade, devem ser acompanhados pelos pais ou responsável legal. No ato da doação, é necessário levar um documento oficial com foto, estar bem alimentado, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas ou ter fumado nas últimas duas horas e deve ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior.

O Hemoraima funciona de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 12h e das 13h30 às 18h. A área de coleta está funcionando em um prédio anexo a unidade, na Rua Amsterdã, no bairro Aeroporto, ao lado do HGR (Hospital Geral de Roraima). O doador também pode agendar a coleta pelo telefone (95) 2121-0861.

Texto: Vanessa Brito e Sueda Marinho

Foto: SupCom ALE-RR