A deputada Yonny Pedroso (Solidariedade), durante a sessão remota desta quinta-feira (28), falou sobre o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e o Dia Mundial de Combate à Mortalidade Materna, lembrado nesta quinta-feira (28). Em sua fala, a parlamentar destacou a necessidade de Governo e Prefeitura intensificarem os esforços para reduzir os índices de mortes de gestantes e puérperas em Roraima.

Yonny falou sobre a importância de garantir assistência para as mães em todas as fases da vida, principalmente na gestação, com o objetivo de reduzir as taxas de mortalidade materna. “A qualidade dos postos de saúde tem que melhorar, tanto do Estado como da Prefeitura, a superlotação na maternidade hoje está em uma situação difícil, falta medicamentos, equipamentos de proteção para os profissionais da saúde”, disse.

Conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), apresentados pela deputada, nos últimos cinco anos foram registradas mil mortes de mulheres na hora do parto. “Muitas dessas mortes foram de hipertensão, hemorragia, infecção, e muitas também de aborto. Para evitar essas mortes, precisamos de um atendimento de qualidade. É preciso redobrar os cuidados com essas mães”, esclareceu.

Mesmo diante da pandemia, Yonny destaca a importância de olhar para a realidade da única maternidade do Estado. “Não podemos deixar de falar dos outros casos que estamos enfrentando, como a realização dos partos na maternidade, muitas mães com o Covid-19, muitas crianças sendo infectadas, levando em risco a vida de muitas pessoas por falta de condições adequadas na maternidade.”

Pagamento de terceirizados e médicos

Ainda durante a fala, a deputada cobrou o pagamento de salário dos terceirizados e médicos que trabalham na Maternidade Nossa Senhora de Nazaré. “Quero falar em nome das famílias que estão sem receber há 3 meses, o que vemos é desculpa do Governo dizendo que processos não estão prontos. Foi pago R$ 6 milhões na compra de respiradores que nunca chegaram, porque esse dinheiro não foi usado para pagar esses profissionais, essas famílias que estão com salário atrasado é precisam se alimentar.”

Ela também cobrou o pagamento dos médicos cooperativados, cujos salários estão atrasados desde abril. “Quero cobrar que o governo pague os médicos contratados pela cooperativa, que estão desde o mês de abril sem receber. Pergunto e deixo minha indignação: o que está acontecendo com esse Estado?”, questionou.

Conforme a deputada, ela recebeu reclamações das terceirizadas que atuam dentro da maternidade. “Eu recebi informações que falta até papel higiênico no banheiro. Como que a gente vai lutar contra uma pandemia, que basta simplesmente água e sabão pra limpar as mãos, e o Governo não oferece?” disse.

Texto: Ana Lucia Montel

Foto: Reprodução  / TV Assembleia

SupCom ALE-RR