“O que você quer ser quando crescer?”. Quem nunca foi questionado sobre isso na infância ou adolescência? Para mostrar novas possibilidades para os alunos, os professores de informática Eubert Botelho e Flávia Alves, do programa Abrindo Caminhos, elaboraram um vídeo sobre as seis principais profissões do futuro na área da tecnologia.

Na análise dos profissionais, as principais atividades direcionadas a tecnologia nos próximos anos serão: gestor de mídias sociais, streamer/youtuber, desenvolvedores de aplicativos, professor on-line, condutor/piloto de drone e perito forense digital. O material está disponível no Youtube pelo link https://bit.ly/34rzRD0.

O Abrindo Caminhos é um programa da Assembleia Legislativa de Roraima e atende mais de 3 mil crianças e adolescentes de 5 a 17 anos. Desde o início da pandemia e da adaptação das atividades ao virtual, os professores Eubert e Flávia elaboraram vídeos sobre temas ligados a informática como cuidados na internet, jogos eletrônicos e vírus virtual.

A diretora do programa, Viviane Lima, conta que o vídeo sobre as profissões do futuro auxiliará principalmente a faixa etária mais avançada na escolha da carreira profissional. “Essas informações acabam fazendo com que elas reflitam sobre um pensamento que ela tinha e precisava de algo a mais para dar uma força”, relata.

Do teatro, o adolescente Vicente Augusto, de 13 anos, sabe bem o que vai ser quando for o momento de prestar o vestibular. “Pretendo ser médico, fazer medicina”, disse com foco em duas áreas especiais, a pediatria e a cirurgia. “Porque eu gosto muito de cuidar de criança e acho bastante interessante essa área cirúrgica”.

A influência para esta escolha está na família, com parentes ligados diretamente a área da Saúde. “O Abrindo Caminhos ajuda os adolescentes a tomarem decisões muito importantes na vida como essa para seguir o futuro”, parabenizou Vicente.

Profissão x hobby

Atriz, bailarina, jogador de futebol, ator, lutador de jiu-jítsu, faixa preta no karatê. Alguns sonhos de criança podem sim se tornarem carreira profissional, desde que haja empenho e apoio dos pais. A psicóloga do programa Abrindo Caminhos, Adria Almeida, explica que a decisão é pessoal.

“Qual o papel dos pais? É o auxílio, é a ajuda para que o adolescente identifique as melhores opções, a melhor carreira que vai seguir, a carreira para o futuro”. Ela afirma que os responsáveis pela criança ou adolescente precisam manter diálogo e pesquisar sobre cursos. “Seja uma escolha que traga felicidade, traga a identificação daquele adolescente, não uma projeção dos pais”.

Uma das formas para saber se esse sonho pode ou não gerar bons resultados no futuro, sugere Adria, é apoiar e nunca vetar a possibilidade com palavras negativas. “Matricular numa escolinha de futebol, ou balé, ou informática, e se realmente for um desejo profissional, essa criança vai levar para o futuro dela. Se não for, em algum momento da vida isso vai se desvincular, ela vai conseguir separar o que é profissão de um hobby”.

Pais costumam projetar sonhos nos filhos. Essa projeção, de acordo com a psicóloga, é fazer com que os filhos realizem sonhos reprimidos dos pais. “Só que acabam projetando negativamente, pois muitos não se identificam e isso pode gerar um sofrimento mental e trazer prejuízos como depressão, ansiedade”.

Escolha

Existem ferramentas para ajudar a encontrar a carreira mais adequada ao perfil de cada pessoa. Uma delas é o teste vocacional. “Hoje existem profissionais [psicólogos] que aplicam estes testes, o que vai direcionar esse adolescente, ver o melhor perfil que ele se encaixa, um curso que mais combina com a personalidade que pode auxiliar muito na sua escolha”, complementa a psicóloga. Na internet é possível encontrar testes gratuitos.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Jader Souza

SupCom ALE-RR