Viver em tempos de pandemia é também uma jornada mental. Por isso é necessário cuidado não somente com o corpo. Vale ficar de olho nas emoções também.  Sem poder sair de casa, e sem ir à escola, a jovem Thaísa Santos, de 15 anos, encontrou na dança uma maneira de manter a saúde física e emocional nesse período.

Por meio das aulas virtuais de jazz do Abrindo Caminhos, a menina tem conseguido superar a ansiedade e estresse causados pela mudança na rotina de vida. A jovem conheceu o programa social da Assembleia Legislativa ao assistir à apresentação especial realizada no final do ano passado na Universidade Federal de Roraima.

“Me apaixonei pela dança assim que assisti a apresentação.  Antes do jazz, eu quase não conversava em casa. Ficava mais isolada, e vivia no celular. Com as aulas passei a me expressar melhor em família. Ah… com a dança me sinto mais leve, tudo melhorou”, contou a aluna.

As mudanças na vida de Thaísa foram ainda mais abrangentes. A dança também ajudou a menina a desenvolver melhor a leitura, conta a mãe Elzânia Santos. “Ela se tornou mais participativa. Tudo isso graças ao Abrindo Caminhos!”, destacou a mãe, que muitas vezes entra na dança junto com a filha.

Devido a pandemia, as aulas de jazz migraram do presencial para o meio virtual. E assim por meio do aplicativo zoom, 170 alunos participam dos encontros online duas vezes na semana. Para o professor Well Souza os bons resultados são resultado de um trabalho conjunto com a família.

“Thaísa entrou na turma pouco tempo antes da pandemia. Mas com os encontros online, essa proximidade com os pais e a interação com os outros alunos contribuíram para essa transformação. Ela se tornou mais confiante em si mesma e melhorou a autoestima”, comemora o professor.

Em meio a uma realidade que ninguém esperava viver, a dança além de ajudar a manter o corpo saudável, trabalha a coordenação motora, incentiva a criatividade e ainda ajuda a melhorar a autoestima e expressão corporal.

A psicóloga Adria Santos, do programa Abrindo Caminhos, lista algumas razões para praticar a dança, independentemente da idade ou estilo:

– A prática é estimulante, relaxante e motivadora, pois não envolve só o corpo como a mente;

– Dançar tem o poder de afastar o stress do dia a dia e a ansiedade, pois libera hormônios como a endorfina e serotonina, que ajudam a relaxar e dar sensação de prazer.

–  Além disso, trabalha a memória e a concentração, e promove o autoconhecimento e a socialização com outros praticantes, e ainda melhora o humor.

Texto: Sueda Marinho

Foto: Eduardo Andrade/Jader Souza

SupCom ALE-RR