Pular para o conteúdo

Renan Filho relata falta de médicos para UTI’s do HGR e pede investigação

Nesta terça-feira (16), durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), o deputado Renan Filho (Republicanos) relatou a falta de médicos nas unidades de terapia intensiva do HGR (Hospital Geral de Roraima). Após o depoimento, a Comissão de Saúde se pronunciou e convidará o secretário da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Marcelo Lopes, para prestar esclarecimentos sobre a escala de plantão desses profissionais.

O parlamentar, que faz parte da comissão de Saúde, destacou que após receber um pedido de ajuda, visitou, na noite do último domingo (14), cinco unidades de terapia intensiva. “Eu fui na UTI 2 não tinha nenhum médico, tinha oito pacientes. Na UTI 3 tinha um médico, mas estava cobrindo a unidade 2. Na UTI 4 não tinha nenhum médico e na UTI 5, apenas dois médicos”.

O parlamentar relatou que os médicos da UTI 5 ainda estavam atendendo as demais unidades. O trauma estava sem um clínico-geral. A UTI 6, composta por 14 pacientes, estava sem médico.

Após a visita, o parlamentar entrou em contato com o governador do Estado, Antonio Denarium. “Eu expliquei a situação para o governador que, no mesmo momento, me respondeu. Ia passar a situação para o secretário de Saúde. Mas, aproveito a oportunidade e peço que a Comissão de Saúde desta Casa depois da Sessão, possa visitar o HGR e saber como está a escala dos médicos”.

Em aparte, o deputado Coronel Chagas (PRTB) questionou se haveria uma escala de plantão na noite da visita. O deputado Renan Filho respondeu que recebeu essa informação pelo WhatsApp. “Eu sugiro que essa escala de médicos que deveriam estar no plantão, mencionada, seja encaminhada à comissão de Saúde para que convoque primeiro o diretor do HGR, o encarregado de elaborar essas escalas para ouvir e verificar de fato se os médicos efetivamente foram informados de que estavam de plantão, por fim convocar os médicos”, sugeriu Chagas.

Já a deputada Aurelina Medeiros (Pode), vice-presidente da comissão de Saúde, disse que solicitará dados de lotação desses servidores ao Poder Executivo. “Quem pode fornecer a relação dos médicos em regime de plantão é o secretário. A partir da primeira reunião, o secretário nos apresenta, vamos convocar o Sindicato dos Médicos e o Conselho Regional de Medicina”, adiantou.

Durante o pronunciamento, o deputado Gabriel Picanço (Republicanos) demonstrou apoio para a realização de uma reunião com as autoridades citadas. “É triste a gente saber que lá dentro do hospital alguém está precisando de um profissional, e o profissional quando está de plantão, não está dando apoio, não está na linha de frente cumprindo a sua carga horária de trabalho”.

A deputada Angela Águida (PP) parabenizou a postura do deputado Renan Filho por trazer esta questão ao debate. “É um assunto que requer coragem de todos nós. A gente precisa tomar a frente, devemos isso à população”.

Sobre o plantão no último domingo, o deputado Eder Lourinho (PTC) disse que recebeu ligações relatando a ausência desses profissionais. “Eu liguei para alguns médicos e dizem que alguns estão trabalhando sem receber. Estão aguardando que o secretário crie uma portaria para regulamentar o ambulatório e a enfermaria”.

Já o deputado Nilton Sindpol (Patri) contou que está à disposição para fazer parte dessa fiscalização. “Temos sim que convidar o secretário de saúde, o CRM, sindicato e enfermeiros para saber o que está acontecendo”, questionou o deputado.

A carência de atendimento médico não se limita ao HGR. O deputado Renan Filho contou que no Hospital das Clínicas havia apenas um médico, situação confirmada em outra visita feita pelo parlamentar.

Convite

A Comissão de Saúde convidará o secretário da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Marcelo Lopes, para prestar esclarecimentos sobre a escala de plantão desses profissionais. O convite será nesta quinta-feira (18), às 15h, no plenário da Casa Legislativa.

Texto: Vanessa Brito 

Supcom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0