Pular para o conteúdo

Assembleia Legislativa promove live com o tema “Saúde pós-Covid-19” nesta sexta-feira

Em alusão ao Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho e ao Dia do Trabalho, comemorados respectivamente nos dias 28 de abril e 1ª de maio, a Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR) promoverá live nesta sexta-feira (30), a partir das 11h, sob o tema “Saúde pós-Covid-19”, destinada, principalmente, aos trabalhadores que venceram a doença, mas ainda permanecem com sequelas.

O evento será transmitido pela TV Assembleia – canal 57.3 e pelo Facebook e YouTube (@assembleiarr), e contará com a participação da enfermeira do Núcleo de Saúde da ALERR e Mestre em Saúde Coletiva, Fernanda Zambonin; do fisioterapeuta intensivista do Hospital Geral de Roraima (HGR) e Mestre em Terapia Intensiva, Lisandro Gabriel de Melo; e da psicóloga da rede pública e Mestre em Sociedade e Fronteiras, Gilvânia Carvalho.

Na live, estruturada em três blocos   Enfermagem: Síndrome pós-Covid e as principais mudanças físicas; Psicologia: Saúde Mental e Pandemia; e Fisioterapia: Exercícios de fortalecimento pós-Covid – os telespectadores terão oportunidade de interagir e esclarecer dúvidas com os profissionais por meio das redes sociais.

A enfermeira Fernanda Zambonin pontua a importância de se discutir as sequelas da doença, já que somente no Estado de Roraima há 90 mil pessoas recuperadas pelo novo coronavírus, mas é preciso refletir se estão tendo de fato qualidade de vida.

Isso é muito importante, pois foi divulgado um boletim aqui do Estado que diz que já são 90 mil pessoas recuperadas da covid-19. Mas aí a gente faz a seguinte reflexão: Será que essas pessoas podem ser consideradas recuperadas de maneira plena?! Conseguem ter uma qualidade de vida no trabalho? Então a gente vai tratar um pouco sobre isso”, pontua.

Já a psicóloga Gilvânia Carvalho esclarece que, a opção por uma abordagem multidisciplinar da covid-19, conforme conceito de saúde preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que vai além da mera ausência de doenças, sendo o estado completo de bem-estar físico, mental e social.

Na OMS não existe saúde física sem a saúde mental, porque nós somos um robozinho, em que nosso corpo é comandado pelo nosso cérebro. Então sem a saúde mental não existe saúde física. São questões que andam juntas, pois quanto pior eu estiver mentalmente mais fragilizado eu posso me tornar fisicamente”, disse.

Entre os efeitos da covid-19 na saúde mental, a psicóloga cita alterações no sono, na memória e na concentração, bem como desencadeamento e/ou potencialização dos transtornos de ansiedade e depressão. Ela ainda complementa que a live ajuda, indiretamente, a mitigar o estigma da doença mental.

Esse evento abre também o debate dessas sequelas mentais. A pessoa ainda tem receio, pois acha que é algo apenas seu. E quando a gente dá espaço, ela vê que têm pessoas que estão passando o mesmo que elas e isso, a nível mundial. E tendo profissionais de saúde disponíveis para falar do assunto, estimula quem se enquadra nestes sintomas, a buscar ajuda profissional para ficar bem”, acrescenta.

De acordo com o fisioterapeuta Lisandro Gabriel de Melo, a área da fisioterapia é crucial para recuperação do paciente durante e após a infecção, porque vai desde o trabalho cardiorrespiratório, dos exercícios respiratórios e musculares até o estímulo sensorial, olfato e paladar.

Quando a pessoa está com o vírus, a gente trabalha a parte respiratória cardiovascular. Depois entram os exercícios motores respiratórios, a atividade física, o estímulo sensorial, entre outras coisas de acordo com a evolução de cada quadro”, explica.

Por isso, durante a transmissão, o fisioterapeuta espera dirimir as dúvidas dessas limitações vivenciadas por muitos. “Espero esclarecer muitas perguntas, pois mesmo curado, o paciente ainda pode ter dano motor, limitação de atividade de vida diária, dificuldade no respirar, caminhar e dor quando já está curada do coronavírus. Então são perguntas que a gente pode ir relacionando e respondendo conforme os temas”, completa.

A live “Saúde pós-Covid-19”, é mais uma iniciativa da Casa na promoção do acesso à informação a respeito da doença e, evidentemente, não substitui a orientação médica e a adoção de hábitos saudáveis, conforme salienta a enfermeira Fernanda Zambonin. “A orientação geral é que você procure seu médico para fazer um check-up, pois no pós-covid a gente vai ter uma série de alterações hormonais”.

A bateria de exames vai proporcionar um melhor entendimento com o que, de fato, foi modificado na saúde da pessoa. Outro ponto importante salientado pela enfermeira é quanto aos hábitos saudáveis de uma maneira geral: alimentação correta, retorno à atividade física de maneira gradual e ingestão de água.

Texto: Suellen Gurgel

Foto: Jader Souza / Tiago Orihuela / Abraão Borges

SupCom ALERR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0