Pular para o conteúdo

Jeferson Alves faz apelo para que o governo trate a saúde como prioridade

Da tribuna, na manhã desta quarta-feira (16), o deputado Jeferson Alves (PTB) trouxe à baila a situação da saúde pública. Com críticas à gestão da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o parlamentar alertou que a troca constante de secretários indica que a área não está sendo priorizada, em virtude de decisões eleitorais e pessoais.

O deputado relembrou que, desde que o governador Antonio Denarium (sem partido) assumiu, a pasta já contou com oito gestores e que o secretário da vez, Airton Cascavel, apesar de bem-intencionado e preparado, não tem a experiência e a formação necessária, para atender as especificidades da área da saúde.

“Em dois anos e meio, oito secretários já passaram pela secretaria. Airton Cascavel, que assumiu no último mês, é um homem muito preparado, mas de medicina ele entende tão bem quanto eu: nada. Então quando você coloca na frente de uma pasta complexa, cheia de detalhes, alguém sem experiência, você complica ainda mais. Quem paga é o povo, que não tem a saúde como prioridade”, ressalta.

Neste sentido, de acordo com Jeferson Alves, o governo não prioriza a saúde, essencial à população, quando ao sabor dos ventos políticos emprega gestores inadequados na administração pública. “O Governo não pode fazer da saúde pública uma moeda de troca para eleição, pois esse não é lugar de se fazer palanque político. Todo mundo sabe que muitos que estão nessas pastas no atual Governo vão sair candidatos no ano que vem”, afirmou.

Em aparte, a deputada Betânia Almeida (PV) se somou ao deputado na urgência de se lutar por uma saúde digna, além de em outras áreas prioritárias, como a segurança e a educação. Ela também reforçou o papel do parlamento como representante legítimo do povo. “Não se brinca com a saúde e não se brinca com o povo, pois ele é o detentor do poder, que exerce através de nós, seus representantes”, disse.

VISITA

Jeferson Alves destacou também que, em visita recente ao Hospital Cosme e Silva, presenciou as dificuldades enfrentadas pela unidade, diante das fortes chuvas na Capital, e a falta de medicamentos.  “Eu cheguei lá e estava tudo alagado e foi a equipe de lá que resolveu o problema, então o que falta é dar condições de trabalho para esses profissionais, infraestrutura, medicamentos, UTIs para atender a população, ou seja, o que falta é governo e gestão”, falou.

Ainda sobre a situação nos centros de saúde, o deputado denunciou um caso de óbito na Maternidade Nossa Senhora de Nazareth, no qual a paciente faleceu dez dias após dar à luz ao seu bebê. Em investigação por negligência, o deputado pediu suporte à Comissão Parlamentar de Inquérito da saúde (CPI), para ajudar a esclarecer essa e outras denúncias por negligência, falta de medicamentos e infraestrutura no Estado.

Num apelo final ao Executivo, Jeferson Alves reafirmou que a consequência de a pasta da saúde servir a fins eleitoreiros, é um risco para a vida dos roraimenses. “Quero fazer um apelo ao governador Antônio Denarium, que ele leve esse tema com prioridade. Que a gente não precise estar aqui na outra semana para falar de erro por negligência, falta de material, estrutura, de condições de trabalho. Quantas vidas vão ser perdidas para que ele entenda que a saúde pública não é moeda de troca de voto”, desabafou.

Texto: Suellen Gurgel

Foto: Jader Souza

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0