Pular para o conteúdo

ALE-RR reforça canais de atendimento à mulher vítima de violência

Com o crescente número de agressões contra mulheres, o Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame), da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), reforça a importância da denúncia. Atualmente, devido ao isolamento social, condição imposta pela pandemia, o atendimento é feito através do ZapChame (95) 98402-0502, um aplicativo que funciona 24h, promovendo orientação jurídica e assistencial às vítimas e visa agilizar o processo de denúncia das vítimas.

Casos de violência contra a mulher foram agravados com a chegada da pandemia da covid-19 em Roraima. Dados fornecidos pelo Centro apontam que, de março de 2020 a março de 2021, 866 casos foram registrados, entre atendimentos presenciais e via aplicativo de mensagens. E somente este ano, até o presente momento, 282 mulheres procuraram por ajuda.

 “Nossa equipe é engajada no acolhimento da vítima e durante o atendimento orientamos que busquem ajuda e conscientizamos sobre os seus direitos e quando necessário é realizado encaminhamento para os órgãos de proteção. A denúncia também é importante para resguardar a vida da mulher em situação de violência, para ajudá-la no rompimento do ciclo de violência e para o resgate da autoestima dessa mulher”, afirmou a coordenadora do Chame, Ana Paula Dias.

A luta pela igualdade de gênero é a principal bandeira dos órgãos de apoio à mulher e a equipe multiprofissional do Chame busca atender com excelência e dedicação, as mulheres que sofrem algum tipo de violência, simplesmente por serem mulheres. Com a alta demanda, devido à suspensão dos trabalhos presenciais, por conta da Resolução 59/2021 devido à crise sanitária imposta pelo novo coronavírus, o órgão reforçou ainda mais os canais de comunicação.

Além do aplicativo de mensagens ZapChame, foram realizadas lives voltadas para o acolhimento às mulheres e está sendo oferecido a possibilidade de vídeo conferência para substituir as palestras presenciais. Em Roraima, vários outros órgãos ligados à defesa da mulher podem ser acionados de forma presencial, como a Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), na Rua Uraricoera, S/N, bairro São Vicente.

O Juizado Especial da Violência Doméstica e Familiar (Fórum Criminal) também realiza atendimentos na Av. Cabo PM José Tabira de Alencar Macedo, 606, Caranã e pelo telefone (95) 98103-7120. A Defensoria Especializada, na Rua Uraricoera, 919, também no bairro, São Vicente. O contato pode ser feito pelo telefone (95) 98103-7120.

A mulher que precisar de atendimento especializado pode procurar também a OAB, na Comissão da Mulher Advogada, Av. Ville Roy, 428- Aparecida. O telefone para contato é o (95) 3198-3350. Os serviços de mensagens privadas também podem ser utilizados pela plataforma Violação de Direitos Humanos no WhatsApp (61) 99656-5008, órgão do governo federal.

Texto: Kátia Bezerra

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0