Pular para o conteúdo

Inaugurada Galeria Lilás que preserva memória política das deputadas

Com o objetivo de resgatar e preservar a história das mulheres do Legislativo, a Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) inaugurou a Galeria Lilás, nesta sexta-feira (13). Na mostra permanente, um mural de fotos com as 18 mulheres deputadas pode ser conferido no Espaço Cultural Maria Luiza Vieira Campos.

Este tipo de iniciativa já ocorre em algumas Assembleias e Câmaras de vereadores no país. O diferencial desta galeria é que, ao utilizar a tecnologia do QR Code, posicionando o celular no canto inferior de cada foto, a ferramenta direciona às informações sobre a parlamentar, armazenadas no site Assembleia Legislativa (al.rr.leg.br).

Dessa forma é possível conferir a trajetória fora e dentro do Parlamento. Conhecer as duplas e triplas jornadas destas mulheres como mães, esposas, profissionais e parlamentares. As informações compiladas mostram as principais bandeiras de lutas e quais leis em prol da sociedade roraimense são de autoria delas.

O presidente da Casa, deputado Soldado Sampaio (PCdoB), agradeceu à Casa pela aprovação da Resolução 039/21 que criou a Galeria Lilás e destacou o espaço destinado às mulheres. “Quero agradecer ao Parlamento, pois essa Resolução contou com a participação dos 24 deputados, para preservar a histórias dessas deputadas e valorizar a mulher roraimense”, pontuou.

Prestigiaram o evento os deputados Gabriel Picanço (Republicanos), Renan (Republicanos), Coronel Chagas (PRTB), Marcelo Cabral (sem partido).  Contou ainda com a presença da presidente da Comissão da Mulher Advogada (CMA) da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Roraima (OAB/RR), Maria do Rosário Alves Coelho e do defensor público-geral de Roraima, Stélio Dener.

Emoção e esperança marcam a cerimônia

 

O evento foi marcado por muita emoção. As homenageadas fizeram questão de agradecer à atual gestão pela iniciativa para valorizar as mulheres que fizeram e continuam a fazer história no Parlamento roraimense.

A filha da ex-deputada Eulina Gonçalves Vieira, falecida no ano passado, Ana Cristina Vieira, emocionou os convidados ao relembrar a trajetória da mãe. “A minha mãe era uma mulher humilde, sonhadora, batalhadora e íntegra. Morávamos numa casa de dois quartos e ela adotou 32 duas crianças. Vocês imaginam o que é isso? O trabalho da minha mãe sempre foi voltado para o social. Ela criou um Centro Integral para atender crianças carentes, além de uma creche, e tudo isso era mantido com o salário dela”, relembrou.

Com seis mandatos, uma das deputadas mais antigas da Casa, Aurelina Medeiros (PODE), em tom de desagravo, pontuou que apesar dos avanços, as mulheres ainda ocupam pouco espaço na política roraimense.

“Ao longo desses 30 anos de história da Assembleia, com quase oito legislaturas, só tivemos 18 mulheres deputadas. A gente sabe que muitas vezes pela questão cultural elas se afastam da política. As mulheres lutam por um lugar no mundo, mas quero dizer que é no mundo da política que as mudanças acontecem”, avisou.

E como bem lembrou a ex-deputada Zenilda Maria Portella, não é qualquer política, é a política feita por mulheres. “Eu gostaria que mais mulheres se interessassem em fazer política aqui em Roraima e em todo país, porque a sensibilidade da mulher na política vem complementar os anseios da sociedade”, afirmou.

Como quem confirma o ditado popular “quem sai aos seus não degenera”, a deputada Angela Águida Portella (PP) tem honrado o legado deixado pela mãe Zenilda Portella, ao compartilhar do mesmo sentimento, de que as mulheres trazem um novo olhar, além de lutar diretamente para a melhorar as condições de vidas de outras mulheres.

“Nós precisamos que esse olhar, esse sentimento, esse cuidado, esteja bem representado na política. Nesta galeria estão as mulheres que fazem parte da história de Roraima. Cada uma no seu momento trabalhou nessa representatividade para promover boas políticas públicas voltadas para as mulheres”, enfatizou Angela.

Na primeira Legislatura, Catarina Guerra (Solidariedade) se diz impulsionada pelas lutas daquelas que passaram pela Casa. “Estar fazendo parte desta legislatura nos motiva a também motivar outras mulheres a ocupar essa galeria”, ressaltou.

Para a deputada Lenir Rodrigues (Cidadania), ao expor a baixa representatividade das parlamentares, a Galeria põe o dedo na ferida e enseja novas reflexões na sociedade. “Somente essas 18 mulheres marcam a história do Poder Legislativo, mas é uma mostra para que a sociedade reconheça essa luta incansável da presença da mulher na política do Estado”, avaliou.

Já Betânia Almeida (PV) disse que o momento era de agradecimento. “Esse reconhecimento dos homens e do povo é um presente, e nós merecemos”. Na mesma direção, a ex-deputada Rosa de Almeida Rodrigues comemorou a iniciativa. “Muita alegria, muito prazer em saber que nós mulheres de Roraima possuímos essa galeria para a nossa história, mulheres que lutaram para fazer esse Estado”, disse.

A defesa dos direitos da mulher, perpassa a consolidação do processo democrático, que não admite discriminação de gênero em nenhuma esfera da vida pública, como destacou a ex-deputada Marília Natália Pinto.

“A Galeria é uma demonstração muito clara do reconhecimento do trabalho de todas as mulheres que passaram por aqui. Acredito que a igualdade de direitos e o empoderamento da mulher são condições fundamentais para tornar a sociedade mais democrática, e construir um parlamento mais justo e democrático”, analisou.

A Galeria Lilás não é capaz de sozinha mudar o cenário de desigualdade e discriminação – histórico, social e jurídico – que as mulheres sofreram ao longo dos séculos, mas constitui um espaço simbólico de enfrentamento e superação das desigualdades de gênero, na medida em que registra os feitos legislativos, tão associado ao mundo masculino.

Na inauguração estiveram presentes as deputadas Angela Águida Portella, Aurelina Medeiros, Betânia Almeida, Catarina Guerra, Tayla Peres (PRT) e Lenir Rodrigues; as ex-deputadas Maria do Perpetuo Socorro Santana Simões, Zenilda Maria Portella, Marília Natália Pinto e Rosa de Almeida Rodrigues, além dos familiares das ex-deputadas já falecidas: Noêmia Bastos Amazonas, Eulina Gonçalves Vieira e Maria Luiza Vieira Campos.

 

RELAÇÃO DAS DEPUTADAS DA 1 A 8 LEGISLATURA:

PRIMEIRA LEGISLATURA (1991 A 1994)

Noêmia Bastos Amazonas (in memorian)

Vera Regina Guedes da Silveira (1 e 3 legislaturas)

Eulina Gonçalves Vieira

Odete Irene Domingues

Rosa de Almeida Rodrigues (1 , 2 e 3 legislaturas)

SEGUNDA LEGISLATURA, (1995 A 1998)

Francisca Aurelina de Medeiros Lima (2, 3, 5, 6 ,7 E 8 legislaturas)

 Zenilda Maria Portella

TERCEIRA LEGISLATURA- (1999 A 2002)

Suzete de Macedo Oliveira

Maria Luiza Vieira Campos (3, 4, legislaturas)

QUARTA LEGISLATURA – (2003 A 2006)

Maria Lúcia Rodrigues Marques (4 , 5 legislaturas)

 Marília Natália Pinto (4, 5 legislaturas)

QUINTA LEGISLATURA. (2007 A 2010)

Maria do Perpetuo Socorro Santana Simões

SEXTA LEGISLATURA – (2011 A 2014 – 2015 A 2018 – 2019 A 2022)

Angela Águida Portella Alves – (6 , 7 E 8 legislaturas)

SÉTIMO LEGISLATURA- (2015 A 2018 E 2019 A 2022)

Lenir Rodrigues Santos -(7 E 8 legislaturas)

OITAVA LEGISLATURA- (2019 A 2022)

Catarina de Lima Guerra da Silva

Maria Betânia Almeida Medeiros

Tayla Ribeiro Peres Silva

Yonny Pedroso da Silva

Texto: Suellen Gurgel

Foto: Jader Souza

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0