Pular para o conteúdo

APELO Renan pede ajuda ao Parlamento e Executivo nas buscas por desaparecidos durante voo

O deputado Renan (Republicanos) pediu nesta terça-feira (24), durante discurso na tribuna, empenho do Parlamento e do Executivo nas buscas pelo avião monomotor que desapareceu com o piloto Cristiano Nava da Encarnação, o mecânico de aeronaves Wallace Gabriel Lopes e Antônio José Oliveira da Silva, no dia 4 de agosto. Além disso, ele citou o comprometimento da Assembleia Legislativa na pauta da Segurança Pública, destacando o sistema prisional.

Renan agradeceu os esforços da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Corpo de Bombeiros, que se revezaram nas buscas dos desaparecidos. Em seguida, afirmou que o monomotor foi encontrado, mas é necessário um helicóptero para chegar ao local. “O que a gente precisa hoje é que um helicóptero possa levar a equipe do Corpo de Bombeiros onde o avião foi localizado, para que ela possa descer e ver se eles ainda estão com vida ou mesmo trazer os corpos, e poder dar uma resposta a essas famílias”, falou.

Segundo o deputado, a Casa Civil tem helicóptero disponível para as buscas, mas existe entrave burocrático. Por isso, fez um apelo para que os colegas se comprometessem com a demanda. “Procuramos a Casa Civil, e a Casa Militar tem a disponibilidade de mandar uma aeronave, mas há uma questão de horas. Faço o pedido, portanto, aos nobres deputados para que a gente possa somar e fazer esse pedido ao Executivo de colocar uma à disposição”, disse.

Num aparte marcado por emoção e indignação, Jeferson Alves (PTB) colocou-se à disposição e relembrou o irmão mais velho que desapareceu numa pescaria no rio Uraricoera, em 2007. Ele contou a saga por apoio governamental e a frustração daqueles que não têm resposta.

“Eu fui até as autoridades competentes para fazer as buscas, pois dentro da Ilha de Maracá não podia entrar ninguém, quem deve tirar são as autoridades. Então, já passou da hora do Governo do Estado ter um ou dois helicópteros para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, pois se nós tivéssemos isso, já teríamos atendido. Só sente essa dor de não saber de seu familiar quem passa por ela”, desabafou o deputado.

Ao se solidarizar com Jeferson Alves, Renan foi categórico ao afirmar que esse desaparecimento merecia atenção, independentemente do espectro político. “Faço um apelo, pois essa não é uma questão política, é de vida. É triste uma mãe procurar um filho. Nada mais justo do que essa Casa dar o seu apoio”, argumentou.

Em tom de agradecimento à Casa, Renan ainda tratou da formatura dos policiais penais e salientou o papel da Assembleia nesta nova etapa da segurança pública no Estado, na qual tanto a estrutura física como os recursos humanos têm sido fortalecidos.

“Esse é um sonho daqueles que vão assumir um cargo público.  Então, essa Casa foi muito coerente e responsável para que hoje o sistema prisional tenha uma estrutura física e pessoal muito boa. Pois o governo pode reclamar de tudo, menos que não tem governabilidade na Assembleia”, enfatizou Renan.

O parlamentar acrescentou que com a reestruturação do sistema prisional, ainda será possível, com responsabilidade fiscal, chamar uma segunda turma de policiais. “A gente tem várias reformas no sistema prisional e, quando inaugurar, eu acredito que uma segunda turma vai ser chamada. E claro, isso depende do Executivo, mas a nossa parte política nós estamos aqui fazendo”, concluiu.

Texto: Suellen Gurgel
Foto: Jader Souza e Marley Lima
SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0