Pular para o conteúdo

PEDIDO DE AJUDA
Presidente da Assembleia Legislativa recebe comissão que cobra mais ações para frear migração em Pacaraima

O presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, deputado Soldado Sampaio (PCdoB), e as deputadas Lenir Rodrigues (Cidadania), Yonny Pedroso (SD), Betânia Almeida (PV) e Aurelina Medeiros (Pode) receberam nesta terça-feira (28) uma comissão formada pelo prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato (Republicanos), e vereadores que cobram mais ações voltadas ao município em razão das consequências da migração venezuelana.

A reunião ocorreu na sala anexa ao Plenário Noêmia Bastos Amazonas, após a sessão ordinária. A proposta do encontro é mobilizar as bancadas estadual e federal de Roraima para definirem uma agenda e levar as situações vivenciadas em Pacaraima ao Governo Federal e a órgãos ligados à migração e Direitos Humanos.

“É preciso que o Governo Federal se envolva nos problemas de Roraima, especialmente do município de Pacaraima”, disse o presidente Soldado Sampaio. “Falamos de questões sanitárias, vacinação, pessoas que entram no Estado sem documentação, crime organizado e tudo isso é de competência da União, e vamos reforçar essa cobrança”, explicou.

Com a entrada diária de milhares de venezuelanos via terrestre por Pacaraima, a região tem sido sacrificada, destacou a deputada Lenir Rodrigues. “Nós não podemos fugir dessa realidade. Precisamos de um melhor controle da migração”.

De acordo com o prefeito Juliano Torquato, a presença da comissão na Assembleia Legislativa foi o mecanismo encontrado para mostrar aos parlamentares a necessidade de estratégias para resolver a questão migratória na região.

“A [Operação] Acolhida tem feito o trabalho de fiscalização, documentação, mas não atende à demanda crescente de pessoas que entram no município e buscam maneiras de adentrar o Estado.”

Além da rotatividade de pessoas, a invasão de territórios protegidos tem preocupado as autoridades locais. “São desmatamentos, usam as áreas de proteção permanentes para tomarem banho, urinar, defecar, e a nossa preocupação é que essa água vai para outras comunidades próximas”, alertou o vereador Arlindo Fonteles (Republicanos).

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Márcio Magalhães

SupCom ALERR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0