Pular para o conteúdo

NA TV ASSEMBLEIA
Pré-natal é essencial para prevenir partos prematuros, adverte coordenadora do Banco de Leite

A necessidade de se realizar todas as fases do pré-natal logo após descobrir a gravidez, é o caminho mais seguro para prevenir partos prematuros. A mudança de hábitos, como parar de fumar, consumir vitaminas, ter uma alimentação balanceada e tomar as vacinas receitadas pelo obstetra também são fundamentais.

A orientação é da coordenadora do Banco de Leite da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth, Silvia Furlin, durante a programação especial comandada pela deputada Angela Águida Portella (PP), transmitida pela TV Assembleia (57.3) e pelas redes sociais da Casa Legislativa (@assembleia) neste sábado (13), em alusão ao Novembro Roxo e ao Dia Estadual da Prematuridade.

Quem perdeu a primeira exibição, poderá rever as reprises na TV Assembleia, às 17h30 e às 23h, até 17 de novembro, ou ainda acessar o vídeo por meio da página do Facebook e do canal do YouTube da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

“O pré-natal é a base de tudo, assim como exames complementares para que se evite o risco de prematuridade. Essa data vem para celebrar, justamente porque temos os nossos heróis, que acabam sobrevivendo. O Novembro Roxo vem para levar esperança para as mães de bebês prematuros”, lembrou Silvia.

Ela falou ainda sobre o papel da Assembleia na difusão dessas informações, bem como na criação de leis que reforçam o compromisso de salvar vidas. “É muito importante a gente celebrar e a TV Assembleia estar conosco nesta caminhada, pois temos uma maternidade e uma UTI [Unidade de Tratamento Intensivo] para todo o Estado, então é essencial todos apoiarem, porque é o futuro de uma criança. E quando a sociedade passa a conhecer essa causa, temos mais visibilidade e, consequentemente, mais apoio”, disse.

Ela citou como exemplo a Lei n° 1228/2018, de autoria da deputada Angela Águida, que instituiu o 13 de novembro como o “Dia Estadual da Prematuridade”, e a “Semana da Prematuridade”. “Isso só vem proteger cada vez mais os nossos prematuros e as ações que são desenvolvidas no hospital. As crianças são acompanhadas durante um ano”, afirmou.

Angela Águida disse que se sente feliz por abraçar essa causa. “Só sabem do grande valor dela as pessoas que já passaram por essa situação. A Organização Mundial da Saúde [OMS] diz que o Brasil ocupa a décima colocação entre os países com mais partos prematuros do mundo”, afirmou, ao salientar que agora será madrinha do projeto Canguru.

O tema nacional deste ano do método canguru é “Separação Zero”, mas, segundo informou Silvia, Roraima não se enquadra na campanha porque a maternidade não separou a mãe dos filhos.

Conforme explicou, os estudos atuais mostram ser importante a presença da mãe junto do filho. Foi inclusive criada a Casa da Gestante para garantir a proximidade dos bebês com as mães, principalmente das que moram no interior. “Neste local, elas recebem todo o suporte e ficam mais presentes com o filho, e têm a chance de ofertar o seu próprio leite para a criança”, destacou Silvia.

Angela Águida lembrou que o Banco de Leite da Maternidade funciona 24 horas por dia e conta com a parceria do projeto Bombeiro Amigo do Peito. “As mães nem precisam ir até a maternidade, elas fazem a ordenha em casa e o Corpo de Bombeiro, coleta”, ressaltou.

 

Índice 

Segundo Silvia, existe um índice grande de prematuros. Há meses em que a UTI registra, em média, 50 bebês na Neonatal. “Devido à imigração, muitas mães estrangeiras chegaram ao país e não têm pré-natal nem exames complementares. Então, o risco de prematuridade é muito alto quando a mulher chega à maternidade sem uma caderneta de pré-natal, pois sabemos que é uma forte candidata a ter o bebê prematuro. Por isso, aumentou muito o número”, contou.

Em 2020, passaram pela UTI Neonatal 57 bebês pesando 750 gramas; 142, com 750 a 1.499, e 665, com peso entre 1.500 e 2.499 gramas.

Texto: Marilena Freitas

Fotos: Marley Lima

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0