Pular para o conteúdo

EM RORAINÓPOLIS
Equipe de Boa Vista capacita servidores do Chame e do Núcleo Reflexivo Reconstruir

Uma equipe do Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame) de Boa Vista promoveu, na terça-feira (21), uma capacitação de servidores do centro e do Núcleo Reflexivo Reconstruir sediados em Rorainópolis, com a finalidade de padronizar e aperfeiçoar o atendimento às vítimas de violência doméstica e familiar no interior do Estado.

 

Vinculado à Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), o Chame oferece acompanhamento gratuito e multidisciplinar – jurídico, social e psicológico às vítimas. Já o núcleo trabalha na reeducação de agressores que devam cumprir penas alternativas ou daqueles que buscam atendimento de maneira espontânea.

 

De acordo com a diretora do Chame, Hannah Monteiro, o objetivo da capacitação é aprimorar e nivelar os atendimentos ofertados na capital e no interior numa perspectiva humanizada.

 

“Nós queremos melhorar ainda mais o trabalho dos servidores da procuradoria, pois as assistidas nos procuram no momento mais vulnerável. Nossa ideia foi alinhar os atendimentos, tanto em Boa Vista como Rorainópolis, sempre humanizados: ouvir, entender, se colocar no lugar da pessoa violentada e orientar”, explicou.

 

Para Thaize Florêncio, diretora do Chame em Rorainópolis, a preleção auxiliará a equipe a superar os desafios de difundir o trabalho de acolhimento.

 

“Adquirimos muitos conhecimentos sobre o trabalho da Procuradoria Especial da Mulher, os tipos de violência doméstica, pois o nosso maior desafio é levar nosso trabalho à população através de panfletagens, palestras, atendimento, para que cada mulher tenha confiança e saia desse relacionamento abusivo”, destacou.

 

Uma das participantes da capacitação, Dejanira de Oliveira, assistente social do Chame de Rorainópolis, destaca que a troca de experiência com o polo da capital abrirá um leque de conhecimentos.

 

“A capacitação foi muito importante não só para mim, que sou assistente social, mas para a coordenadora e a psicóloga, pois ampliamos nossos conhecimentos e isso é muito bom, pois podemos passar para as pessoas o que aprendemos”, afirmou.

 

Essa também é a visão de Gomes, assessor técnico do Núcleo Reflexivo Reconstruir, que destacou a integralização das ações como um dos pontos altos da qualificação. “O que mais me chamou a atenção foi o trabalho multidisciplinar que é feito pela psicóloga, assistente e advogado. Isso enriquece os atendimentos. Nós já estamos aqui 100% capacitados para que, quando as demandas chegarem, possamos devolver para as pessoas o que elas buscam no centro”, pontuou.

Violência contra a mulher em Roraima 

 

Há mais de uma década, Roraima tem se destacado negativamente no cenário nacional da violência contra a mulher. De acordo com os dados mais recentes divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, por meio do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022, mais do que dobraram os casos de lesão corporal dolosa no âmbito da violência doméstica no Estado entre 2020, quando houve 709 ocorrências, e 2021, com 1.435 registros.

 

No mesmo período, houve crescimento de 57,5% com relação ao homicídio de mulheres. Já nos casos de tentativas de homicídio, o aumento foi de 43%, com 87 casos notificados. De acordo com Renata Borici, promotora do Ministério Público em Rorainópolis, que recentemente visitou o Chame local, uma das estratégias para mitigar esses índices é a união dos poderes públicos.

 

“Infelizmente, assim como em todo Estado, os índices de violência doméstica em Rorainópolis não são baixos. Em 2022, somente a Polícia Militar atendeu 120 ocorrências envolvendo alguma forma de delito referente à Lei Maria da Penha. É muito importante fortalecer os laços entre as instituições que combatem a violência doméstica e auxiliam essas vítimas, até mesmo para propagar ainda as informações sobre esse tipo de crime”, concluiu.

 

As moradoras de Rorainópolis e adjacências podem buscar apoio no Núcleo da Procuradoria Especial da Mulher na Rua Senador Hélio Campos, sem número, BR-174. O serviço multidisciplinar funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

 

Em Boa Vista, os atendimentos acontecem de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, na Avenida Santos Dumont, 1470, bairro Aparecida, e o remoto pelo ZapChame (95) 98402-0502, que funciona 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

 

 

Suellen Gurgel

SupCom

Compartilhar

Arquivos

banner assembleia 125x125

Notícias Relacionadas