População pede posto policial no bairro Airton Rocha durante ação do Fiscaliza Roraima

A falta de policiamento no local tem causado preocupação nos moradores

A Praça Genésio da Costa Aguiar foi inaugurada há um ano no bairro Dr. Airton Rocha, e se tornou o ponto de lazer das crianças e famílias que residem no conjunto habitacional Pérola do Rio Branco. Mas a falta de segurança pública no local tem causado preocupação nos moradores, que apresentaram a demanda durante a visita do Fiscaliza Roraima, nesta terça-feira (24).

A manicure Priscila Carvalho mora há três anos na localidade e ressaltou a necessidade de um efetivo policial mais presente. “No caso aqui a gente tem essa praça e temos muitas crianças, então gostaríamos de ter mais segurança, mais guardas nas praças” disse a manicure.

Outra moradora, a dona de casa Neide da Silva, apontou a falta de um posto policial na localidade. “A primeira coisa que eu queria que melhorasse é que colocassem um posto de segurança ai nessa praça.”

Para atender demandas como estas que o Fiscaliza Roraima, programa da Assembleia Legislativa, realizará durante esta semana ações de divulgação e orientação aos moradores do conjunto habitacional Pérola 5. Após finalizarem todo o bairro, a advogada do Fiscaliza Roraima, Claudeíde Bevolo,  explica que será feito um relatório para analisar quais serão as medidas tomadas.

“Será feito um levantamento aqui do Pérola. No final vamos fazer um balanço e ver qual problema esta havendo mais para poder encaminhar aos órgãos competentes”, contou.

Texto: Bárbara Araújo
Foto: Alfredo Maia

Fiscaliza Roraima acompanha condições de postos de saúde em Boa Vista

Programa da Assembleia Legislativa cobra a qualidade dos serviços oferecidos à comunidade

 

Há vários dias José Campos, morador do bairro Pintolândia, na zona Oeste de Boa Vista, tenta marcar uma consulta odontológica. Indignado com o atendimento na Unidade Básica de Saúde Lupércio Ferreira Lima, ele conta que chegou ao local às 5h, mas duas horas depois foi comunicado sobre a não disponibilidade de atendimento naquele dia.

Denúncias como esta levaram a equipe do programa Fiscaliza Roraima, programa da Assembleia Legislativa, a verificar as condições do atendimento nos postos de saúde em Boa Vista, em um trabalho conjunto com a Comissão Temporária Especial da Câmara de Vereadores.

“A gente gostaria que tivesse um mural dizendo que não tem médico, não tem dentista, para que a gente não fique até as 7h pra ouvir um ‘bom dia’ e ‘que não tem médico’”, denunciou o usuário, enquanto a equipe realizava a inspeção.

No bairro Laura Moreira, também na zona Oeste, o funcionário público Marcel Teixeira reclama da ausência de uma UBS no conjunto onde mora, o Cruviana. Ele e a família se deslocam até a Unidade Jorge André Gurjão para garantir consulta e remédio. “Toda vez que a gente precisa de atendimento, a gente precisa se deslocar pra cá”.

Estas e outras denúncias foram coletadas pela equipe do Fiscaliza Roraima, programa da Assembleia Legislativa de Roraima, durante fiscalização. Além dos cidadãos, os técnicos averiguaram disponibilidade de atendimento médico, condições estruturais e de abastecimento.

Segundo o superintendente do Fiscaliza Roraima, George Melo, os trabalhos iniciados na tarde de quarta-feira (24) seguirão nos próximos dias. “Temos uma parceria entre os legislativos [estadual e municipal] e ontem nós acompanhamos os vereadores nas visitas aos postos. Essas visitas têm a finalidade de apurar uma grande demanda de reclamações da população que chegaram à Câmara e nós fomos convidados a acompanhar”.

Os dados coletados serão transformados em um relatório para ser apresentado à Superintendência Geral da Assembleia Legislativa e à Comissão dos vereadores. “Iremos em outros postos e continuaremos os trabalhos nas áreas de Saúde”.

O Fiscaliza Roraima funciona na rua Agnelo Bittencourt, nº 232, 2º andar, no Centro de Boa Vista. Sugestões e/ou reclamações podem ser feitas no local ou pelos telefones 98402-1735, 4009-4835, ou ainda pelo sitefiscalizar.com.br.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Programa Fiscaliza Roraima analisa condições de estradas em Uiramutã

Moradores amargam prejuízos e temem ficar isolados devido à precariedade da malha viária da região

 

As reclamações de moradores de Uiramutã, a 329 quilômetros da Capital, motivaram uma inspeção pelo programa Fiscaliza Roraima, da Assembleia Legislativa. Após solicitação da deputada Ione Pedroso (SD), uma equipe de técnicos esteve no município neste fim de semana (06 e 07), para mapear as pontes de madeira e os 90 quilômetros de extensão da estrada que não têm pavimentação.

A vistoria passou por 24 pontes, algumas destruídas. Sobre a estrada, que é de piçarra, em muitos trechos a trafegabilidade está gravemente prejudicada. As informações apuradas serão detalhadas em relatório, que deverá ficar pronto em até cinco dias.

O documento, com fotos e depoimentos de moradores, será entregue à Superintendência Geral da Assembleia Legislativa, e posteriormente encaminhado às comissões permanentes. “Com o relatório em mãos, os deputados poderão formular indicações ao Governo do Estado solicitando medidas que solucionem os problemas”, explicou a coordenadora do Fiscaliza Roraima, Odalene Dantas.

Por causa das condições da estrada, a viagem até o município de Uiramutã, pode durar até sete horas, em média. As pontes quebradas e rodovias intransitáveis dificultam o escoamento da produção das 128 comunidade indígenas da região. O temor é que a situação se agrave com o início das chuvas. Em anos passados, o município já chegou a ficar completamente isolado.

Segundo Jorlindo Batista, tuxaua da comunidade indígena do Pavão, a recuperação de estradas e pontes é uma reivindicação antiga da população. “As pontes estão se acabando. Onde foi parar o dinheiro que deveria ser usado para resolver esse problema?”, questiona.

FISCALIZA RORAIMA – O programa Fiscaliza Roraima é uma iniciativa da Superintendência de Fiscalização da Assembleia Legislativa cuja finalidade é receber demandas da população sobre a qualidade dos serviços oferecidos pelo Governo do Estado e prefeituras.

A sede do programa fica localizada na rua Agnelo Bittencourt, nº 432, no centro de Boa Vista e funciona de segunda a sexta-feira, em horário comercial. As denúncias também podem ser enviadas pelo telefone 4009-4835, pelo número de WhatsApp 98402-1735 ou pelo site fiscalizarr.com.br.

Texto: Otacílio Monteiro

Foto: Lucas Almeida

SupCom ALE-RR

FISCALIZA RORAIMA – Programa monitora qualidade dos serviços oferecidos à comunidade

Se constatada a necessidade de melhorias, a Assembleia Legislativa aciona oficialmente os órgãos responsáveis e presta contas sobre as medidas adotadas

Quem enfrenta problemas nos serviços oferecidos à comunidade conta com uma ferramenta na busca por uma solução. O programa Fiscaliza Roraima, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), permite que a sociedade roraimense interaja com o Poder Legislativo, ajudando na fiscalização da assistência pública nas mais diversas áreas.

A população é a principal parceira desta iniciativa. Para isso, basta utilizar os canais de atendimento para registrar suas demandas, opiniões, sugestões e reclamações e pedir uma visita da equipe de fiscalização. As denúncias podem ser registradas pelos telefones 4009-4835, 98402-1735, ou ainda pelo site https://fiscalizarr.com.br, no qual pode ser acompanhada toda a tramitação da denúncia.

De acordo com o superintendente do programa, George Melo, a iniciativa é um meio de o Poder Legislativo estar perto da população, ouvindo e atendendo as demandas. “Cada município tem as suas especificidades e algumas cidades já cresceram e com elas as demandas, por isso é importante a informação para que a Assembleia possa ajudar a população”.

Para intensificar as ações do Fiscaliza Roraima, a equipe do programa tem um cronograma de visitas as escolas, postos de saúde, centros de atendimento ao cidadão, espaços de lazer e esporte, para saber da população sobre a qualidade dos serviços ofertados.

Em cada município, George Melo explica que é encaminhado uma equipe de fiscalização para avaliar as demandas. Na capital, o superintendente destaca que algumas demandas da população já começaram a ser atendidas. “Nós fomos fiscalizar um pedido da população que mora no bairro Cauamé, onde tinha um prédio da prefeitura que os moradores tinham medo que desabasse. Solicitamos e já está sendo reformado”, exemplificou.

Como funciona

Após a formalização da denúncia, a equipe de fiscalização vai até o local e se constatar o problema, é aberto um processo no qual o órgão responsável é notificado oficialmente. O solicitante pode acompanhar toda a tramitação pelo site www.fiscalizarr.com.br. As ligações podem ser anônimas.

As denúncias também podem ser feitas pessoalmente. O Fiscaliza Roraima funciona de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 18h, na rua Agnelo Bittencourt, nº 232, Centro.

Texto: Jéssica Sampaio

Foto: Lucas Almeida

SupCom ALE-RR

FISCALIZA RORAIMA – Programas da Assembleia Legislativa atendem moradores do bairro Pintolândia

Foto: SupCom ALERR

O programa Fiscaliza Roraima esteve no bairro Pintolândia, na Zona Oeste de Boa Vista, para fiscalizar e cobrar do poder público, o cumprimento dos serviços essenciais oferecidos ao povo. A ação teve ainda a presença dos demais projetos da Assembleia Legislativa de Roraima de Roraima além da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

A ação foi realizada desde o fim da tarde e adentrou a noite desta quarta-feira (13), na Praça Germano Augusto Sampaio, onde a ALE-RR ajudou as pessoas com orientações jurídicas, sobre direito do consumidor, além de receber reclamações sobre falhas na prestação de serviços públicos e repassar orientações sobre temas como violência doméstica.

Na busca por uma orientação jurídica sobre dívidas no nome da mãe, a dona de casa Sara Lima procurou pelo Procon Assembleia, órgão de Defesa do Consumidor do Poder Legislativo, para conhecer o caminho mais viável para solução de um problema recorrente há mais ou menos um ano, após a morte do pai. “Ela, como sócia, não sabe lidar com isso e veio ver como resolver a situação, e recebeu da equipe técnica do Procon Assembleia informações sobre quais órgãos e entidades procurar”, explicou.

Já a dona de casa Perpétua Amazonas da Silva mora há 25 anos no bairro Pintolândia e o sofrimento é o mesmo desde o começo: problemas com alagamento na rua onde mora. A denúncia foi formalizada junto ao Fiscaliza Roraima. “Essa ação foi boa porque a gente vem, faz a reclamação e eles vão lá fiscalizar. Quando alaga, é o jeito passar pela água”, lamentou.

Nesta ação do Fiscaliza Roraima, a população pôde tirar informações sobre Lei Maria da Penha e o funcionamento do Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), além de conferir a exposição Quebrando o Silêncio, uma parceria da Procuradoria Especial da Mulher com a Igreja Adventista do Sétimo Dia, além de tirar dúvidas quanto à problemas com a telefonia e direitos do trabalhador.

Para as crianças, um espaço amplo com recreação foi montado especialmente para divertir as crianças enquanto os pais recebiam atendimento. Neste local foram realizadas pinturas, jogos de tabuleiro como xadrez, ping pong, dominó, baralho e pula-pula.

Para a assessora técnica do Fiscaliza Roraima, Odalene Dantas, chegar ao bairro Pintolândia foi uma necessidade apresentada pelos moradores da própria região cujas demandas mais latentes giravam sobre Segurança Pública e buracos nas ruas. “A população vem denunciando e nós viemos aqui para ouvi-los, pois o Fiscaliza é um canal entre a população e a Assembleia”. Após o recebimento das demandas, uma equipe é mobilizada para conferir de perto a situação e formalizar aos órgãos competentes.

Os denunciantes recebem uma resposta sobre o andamento das reclamações. O Fiscaliza Roraima funciona anexo à Assembleia Legislativa, na rua Agnelo Bitencourt, nº 216, no Centro de Boa Vista. Mais informações podem ser obtidas pelo 0800-095-0047.

TEATRO – Para fechar a programação, o Fiscaliza Roraima apresentou duas peças de teatro para dar exemplos à população sobre as ações do programa diretamente na sociedade. A primeira contou sobre a instituição, simulando uma roda de conversa. Na segunda parte, houve atendimento a cidadãos em um salão de beleza. Em seguida, para os praticantes de esportes, foi realizada uma aula de zumba.

Yasmin Guedes

SupCom ALERR