Se estivesse vivo, o paraense Carlos Gracie, considerado um dos precursores do jiu-jítsu no Brasil, completaria 118 anos de idade. Em homenagem a este atleta que alavancou o nome do país nesta modalidade de arte marcial, 14 de setembro se tornou um marco para o esporte no país. Em Roraima, por meio do Abrindo Caminhos, programa social da Assembleia Legislativa, o esporte vem rompendo barreiras de preconceito e se consolidando como uma ferramenta de transformação na vida de centenas de crianças e adolescentes.

É o caso do jovem Luís Eduardo Guedes, de 9 anos, aluno de jiu-jítsu no Abrindo Caminhos. Ele começou no esporte por incentivo da mãe, Mônica Guedes.  Ela conta que matriculou o filho na esperança de ajudá-lo a melhorar a disciplina na escola e a se socializar mais. “No começo ele não gostava, chorava para não ir. Mas com o tempo foi conhecendo o esporte, fazendo amizades e hoje não perde uma aula.”

Graças ao esporte, o menino que antes tinha dificuldade de se relacionar em sociedade, hoje coleciona medalhas, e além disso, se tornou mais sociável e conquistou a admiração de familiares, colegas e professores na escola, ganhando o título de aluno destaque em 2019. “O jiu-jítsu é amor, é minha vida. Nesse período de pandemia sinto muita falta do professor, dos meus amigos e dos treinos com todos juntos”, destacou.

Assim como Luís Eduardo, outros 700 alunos praticam o esporte no programa Abrindo Caminhos. Alunos em Boa Vista, Alto Alegre, Mucajaí e Rorainópolis já alcançaram cerca de 100 medalhas em mais de dez competições. Com apenas três anos de funcionamento, o Abrindo Caminhos já ocupa uma posição de destaque para o esporte local, figurando em quarto lugar no ranking da Federação de Jiu-Jítsu do Estado de Roraima (FJJERR), no qual competem um total de 35 academias.

Em meio ao isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, os professores precisaram adaptar as aulas para o formato de vídeos. As videoaulas são gravadas e depois editadas e enviadas nos grupos de WhatsApp pelos professores. Além disso, diariamente os alunos recebem orientações e podem tirar dúvidas pelo aplicativo. A proposta da nova metodologia não é substituir as aulas de luta, e sim ajudar os alunos a manter a rotina de treinos para ajudar na evolução do desempenho na prática do esporte.

Jiu-jítsu

A palavra jiu-jítsu significa literalmente, “arte suave”. O jiu-jítsu brasileiro é uma arte marcial de raiz japonesa que se utiliza essencialmente de golpes de alavancas, torções e pressões para levar um oponente ao chão e dominá-lo.

Bruno Romão é professor desta luta no Abrindo Caminhos, e para ele, a arte marcial tem um poder transformador na vida de crianças e adolescentes, pois são trabalhados princípios educacionais, focados na hierarquia, disciplina e respeito. “Não há como você entrar no jiu-jítsu e sair pior. A cada dia, a cada treino, a cada aula, a cada ensinamento, e a cada conversa, você se torna melhor em alguma área”, explicou.

Conheça alguns dos benefícios do jiu-jítsu:

Crianças – Ganham noções de hierarquia, respeito, sociabilização, controle emocional, ganhos na coordenação motora, aprendem a lidar com as dificuldades e a perder e ganhar. Além de adquirirem mais confiança e autoestima.

Adolescentes – O esporte ajuda na autoconfiança. Traz benefícios para o corpo e emocional. Além disso, ajuda na disciplina e responsabilidade com a escola e em casa também.

Adultos – Nesta fase, a atividade traz como principal benefício a prática de uma atividade física, além da percepção de que arte marcial vai além de golpes, e se torna um estilo de vida saudável. Além disso, ajuda a eliminar o stress e a ansiedade.

Texto: Suada Marinho

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR