Pular para o conteúdo

Assembleia Legislativa promove palestra sobre endometriose nesta quinta-feira, 23

De acordo com a deputada Lenir Rodrigues a ideia da palestra é sensibilizar as mulheres sobre as causas da doença.

Como parte da programação da Semana Estadual de Enfrentamento a Endometriose, o Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) da Assembleia Legislativa de Roraima, promoverá nesta quinta-feira, 23, uma palestra sobre a endometriose. A Semana foi instituída no calendário oficial do Estado, por meio da Lei 1.111/2016, de autoria da deputada Lenir Rodrigues (PPS).

A palestra será ministrada pela enfermeira Milleid Rodrigues, das 10h às 11h, na sede do Chame, na rua Coronel Pinto – Centro (por trás da Assembleia Legislativa). Lenir explicou que a ideia é sensibilizar as mulheres sobre as causas da doença. “Será nossa primeira ação, mas, por enquanto, terá como público as servidoras da Procuradoria Especial da Mulher, para que elas tenham conhecimento sobre endometriose e possam multiplicar essas informações a outras mulheres”, comentou.

Quanto a Lei, a deputada Lenir explicou que uma das finalidades é que seja realizado um processo educativo na sociedade, além de chamar a atenção quanto às consequências e aos distúrbios que as pessoas que têm essa doença sentem. “Muitas vezes, as pessoas já estão com os sintomas, mas não sabem que estão com a doença”, ressaltou, dizendo que “se chamarmos a atenção da sociedade, as pessoas mais humildes e, até mesmo, as mais esclarecidas irão entender a importância de estarmos buscando informações sobre endometriose”.

EndoMarcha – Lenir lembrou que no próximo sábado, 25, acontece a campanha Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose e, pela primeira vez, Roraima participará. “Às 8h de sábado faremos uma concentração na Praça Barreto Leite, de onde sairemos para uma panfletagem na avenida Jaime Brasil. A ideia é sensibilizar as mulheres quanto a essa doença tão grave”, ressaltou. “A nossa luta é para que tenhamos o reconhecimento da endometriose como uma doença social. Não queremos apenas nos mutilar, tirando útero, o ovário. Queremos ter direito à reprodução, ter direito ao tratamento que é caro, mas o poder público tem que pagar”, ressaltou.

A lei de autoria da deputada prevê uma ampla campanha educacional para que a sociedade entenda o que é endometriose, e que possa ter força para que o Congresso Nacional faça uma lei considerando a endometriose uma doença social, e que as mulheres tenham direito ao tratamento.

Endometriose – Cerca de 10 milhões de mulheres sofrem dessa doença no Brasil, considerada a principal causa de infertilidade no sexo feminino. Essa doença também provoca cólicas, dor no fundo da vagina e desconforto durante a relação sexual, podendo haver, ainda, dificuldade para urinar e evacuar no período menstrual.

Por Edilson Rodrigues
SupCom /ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0