Pular para o conteúdo

Prática da vaquejada agora tem garantia constitucional em Roraima

“O que nós fizemos foi inserir na Constituição a vaquejada como prática cultural. Todos temos o direito de praticar a nossa cultura”, disse Brito

Por 18 votos, os deputados aprovaram durante a sessão desta quarta-feira, 29, na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), uma Proposta de Emenda a Constituição (PEC), de autoria dos deputados Brito Bezerra (PP) e Marcelo Cabral (PMDB), que torna constitucional a vaquejada nas modalidades desportiva e cultural.

O deputado Brito Bezerra, considera que a aprovação foi uma vitória, pois, segundo ele, a vaquejada é uma prática secular no país e em Roraima é considerada cultura. “O que nós fizemos foi inserir na Constituição a vaquejada como prática cultural. Todos temos o direito de praticar a nossa cultura, isso não é um direito só de Roraima, mas do Brasil inteiro, sem contar na geração de emprego e renda que são garantias fundamentais do nosso povo”, defendeu.

Bezerra acrescentou ainda que esta regulamentação traz segurança ao trabalhador que poderá, por meio da cadeia produtiva que gera a vaquejada, como a venda do boi, rações, tratamento dos cavalos, restaurantes e bares, ter uma fonte de renda e garantir o sustento de toda a família.

O deputado Marcelo Cabral, que também é autor da PEC, diz que a aprovação desta proposta é a preservação da cultura e a garantia da prática para aqueles que vivem e dependem da vaquejada, enquanto atividade cultural e geradora de renda. “Os apaixonados pela vaquejada em todos os municípios de Roraima agora terão garantias por meio dessa PEC”, concluiu Marcelo Cabral, ao completar que todo filho do Norte é neto do Nordeste e que a prática da vaquejada de maneira cultural e desportiva só trará benefícios para o Estado.

O texto da Proposta de Emenda a Constituição 002/17, garante ainda o bem-estar dos animais envolvidos, vedando qualquer tipo de maus tratos ou crueldades durante a realização dos eventos. A PEC entrará em vigor a partir da data de publicação.

Por Tarsira Rodrigues
SupCom/ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0