Para o parlamentar, a educação no campo vai muito além de manter escolas na área rural.

Políticas públicas que garantam acesso à educação no campo serão debatidas durante audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa de Roraima, no dia 23 de junho, às 9h, no Plenário Deputada Noêmia Bastos Amazonas. O debate foi uma solicitação do deputado Evangelista Siqueira (PT).

Conforme o parlamentar, a proposta é reunir, além dos poderes Legislativo e Executivo, professores e alunos e demais entidades envolvidas com a educação no campo, para que juntos encontrem uma solução que garanta o fortalecimento da educação na área rural. “Nós queremos fazer os apontamentos necessários para que tenhamos o homem e a mulher, formados, trabalhando e morando no campo. Porque nós dependemos deles, por exemplo, para a nossa alimentação e escoação da produção. O campo e a cidade têm que caminhar sempre juntos, de mãos dadas”, destacou o parlamentar.

Evangelista também afirmou que a educação no campo vai muito além de manter escolas na área rural. “É preciso ações concretas que gerem políticas públicas de valorização dos professores, de acesso à educação no campo com mais tranquilidade para os alunos”, disse ao citar a questão do transporte escolar como um dos meios necessários para garantia desses direitos.

Licença-maternidade – Os deputados aprovaram nesta terça-feira (16), em segundo turno, a PEC 007/2016 (Proposta de Emenda a Constituição) que garante o prazo de licença maternidade de 180 dias, para servidores públicos que adotarem crianças de até três anos de idade, que possuam algum tipo de deficiência.

De autoria dos deputados Lenir Rodrigues (PPS), Chico Mozart (PRP) e Masamy Eda (PMDB), a proposta, agora, será promulgada pela Assembleia Legislativa de Roraima. “Para nós é uma alegria imensa poder contribuir com as pessoas que estão na luta pelos direitos da criança e adolescente desde o nascimento”, disse Lenir Rodrigues.

Por Sônia Lúcia Nunes

SupCom/ALE-RR