Os parlamentares pediram a colaboração do titular da pasta.

A presidente e o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Sistema Prisionalda Assembleia Legislativa de Roraima,deputados Lenir Rodrigues (PPS) e Jorge Everton (PMDB), fizeram uma diligência, no início da tarde desta quarta-feira (31), na Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) parasolicitação das notas de pagamentos à empresa de alimentação que atende as Unidades Prisionais do Estado.

Os parlamentares pediram a colaboração do titular da pasta, Ronaldo Marcílio, para o fornecimento das notas fiscais para que estas informações sejam incorporadas ao relatório da Comissão. Segundo Lenir Rodrigues, essas notas não teriam sido encontradas durante visita à Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (SEJUC) e estão relacionadas aos contratos emergenciais firmados pelo Governo do Estado.“As primeiras notas tratam do processo emergencial”, disse.

De acordo com o deputado Jorge Everton, a reunião com o titular da Sefaz foi necessária após outra diligência a Sejuc. “A CPI tem tido certa morosidade em virtude da falta de documentação, de encaminhamento por parte da SEJUC. Nós cansamos disso, não vamos mais esperar”, disse ao relatar ainda que na SEJUC, o atual secretário, Ronan Marinho, disponibilizouos documentos considerados ‘desaparecidos’ da secretaria. “Por isso viemos àSefaz, fomos muito bem recebidos pelo secretário que, prontamente, nos encaminhou a documentação necessária até mesmo porque se essas documentações desaparecerem ocorre um novo crime e estamos aqui pra apurar e trazer a verdade real”, explicou.

Sobre o relatório, esclareceu ainda que a cada dia surgem fatos novos e que são acrescentados ao estudo. “São mais de 110 páginas prontas.A fase de conclusão é com essa documentação e pretendo entrega-lo ainda esse mês para apreciação do plenário”, concluiu.

O secretário estadual da Fazenda, Ronaldo Marcílio, informou que vai colocar uma equipe para agilizar, ao máximo, o fornecimento das notas fiscais solicitadas pela CPI. “Da nossa parte vamos cumprir com o que está sendo solicitado.É um documento que nós vamos entregar a CPI, é uma obrigação nossa entregar e, com certeza, vamos entregar”, garantiu.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR