“Cabe honrosamente a essa emissora reparar a cena dessa novela de forma a trazer ao telespectador a verdade”, disse o deputado Coronel Chagas.

O deputado Coronel Chagas (PRTB), vice-presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, também usou a tribuna para compartilhar a nota de repúdio do Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares (CNCG-PM/CBM) em desfavor da cena da série da televisão brasileira Malhação, da Rede Globo de Televisão, exibida no capítulo do dia 30 de maio, terça-feira passada.

A cena mostra um policial militar tratando de forma preconceituosa e racista dois jovens durante uma abordagem rotineira. Chagas, além de ler a nota de repúdio, expressou indignação ao tratamento dado pela Rede Globo, sentimento compartilhado também pelos deputados Joaquim Ruiz (PTN) e Mecias de Jesus (PRB).

Na nota de repúdio o presidente do CNCG-PM/CBM, Marco Antonio Nunes de Oliveira, ressalta que a cena indica “um viés totalmente desconectado da cultura institucional pregada pelas Polícias Militares no Brasil de respeito aos Direitos Humanos à luz dos princípios e regramentos constitucionais”.

Afirma ainda que o trabalho exercido pelos policiais militares e bombeiros militares é reconhecido nacionalmente, e que as instituições estão sempre prontas para atender ao pedido de todo e qualquer cidadão, independente da raça, cor, gênero ou credo.

Por fim, a nota pede respeito e reconhecimento. “Cabe honrosamente a essa emissora reparar a cena dessa novela de forma a trazer ao telespectador a verdade, para que não paire qualquer dúvida sobre o que o Policial Militar brasileiro representa à sociedade, nos dias atuais”.

Para Chagas, esse tipo de tratamento deprecia o trabalho sério realizado pelos policiais em todo o país. “O seriado tratou de forma criminosa os integrantes de todas as policias militares do nosso país. Temos visto isso de forma sistemática, nos meios de comunicação, mas principalmente na TV Globo, que tem procurado diminuir a importância do trabalho realizado por todas as policiais militares no nosso país”, disse Chagas.

O deputado Mecias de Jesus (PRB) compartilhou da mesma opinião de Chagas e disse que há um exagero por parte da mídia ao expor os policiais militares quando estão na missão de defender a sociedade. Como em toda profissão, o parlamentar disse que existem maus profissionais, mas que a maioria cumpre o papel de proteger o cidadão.

“É preciso separar o joio do trigo. Os policiais militares já têm medo de ir para uma ação, que necessite às vezes ser mais energético, porque em seguida a imprensa generaliza, e o policial vira bandido, e o bandido o santo. É isso que acontece em todo o Brasil. Solidarizo-me à Polícia Militar e o Corpo de Bombeiro do meu Estado”, disse, ao lembrar que o policial militar também tem família e filhos.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR