Pular para o conteúdo

EDUCAR É PREVENIR – Projeto da Assembleia Legislativa será apresentado em escola pública

“Levaremos informações sobre as formas de tráfico praticado no entorno da escola”, disse a coordenadora do Núcleo, Socorro Santos.

No período de 19 a 23 de junho, os alunos, professores, equipe pedagógica e de apoio da escola Estadual Maria dos Prazeres Mota, localizada no bairro Santa Tereza, zona Oeste de Boa Vista, participarão da abertura dos trabalhos do projeto ‘Educar é Prevenir’, desenvolvido pela Procuradoria Especial da Mulher, da Assembleia Legislativa de Roraima, por meio do Núcleo de Promoção, Prevenção e Atendimento às Mulheres Vítimas de Tráfico de Pessoas.

A proposta, segundo a coordenadora do Núcleo, Socorro Santos, é capacitar todos os envolvidos das unidades escolares a identificar e atuar no enfrentamento contra o tráfico de pessoas, abuso sexual e violência doméstica. “Levaremos informações sobre as formas de tráfico praticado no entorno da escola e as consequências desse tipo de violação na vida da pessoa”, explicou.

Mensalmente, a equipe do Núcleo percorrerá duas escolas em Boa Vista e uma no interior do Estado para disseminar, de maneira prática e lúdica, as informações sobre esse perigo que ronda a vida de muitas pessoas em Roraima. A Secretaria Estadual de Educação e Desportos (SEED) é parceira no projeto.

O início do projeto funcionará da seguinte maneira: no dia 19, a partir das 9h, a instituição receberá o material informativo elaborado pelo Núcleo, como flyers, cartazes, banners, filmes e uma ‘Caixa Jaula’ (Small Jail), para representar o tráfico humano. A capacitação acontecerá no último tempo de aula. Na terça (20), esse momento acontecerá pela manhã (das 11h às 12h) e a tarde (das 17h às 18h).

Na quarta (21) e quinta (22), os professores devidamente capacitados, levarão para sala de aula, atividades relacionadas ao tema para que no último dia aconteça uma Mesa Redonda para discussão e apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos discentes. A ideia é levar representantes de órgãos ligados a Segurança Pública, ao Judiciário e a Assistência Social para explanar ainda mais o assunto.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0