Apesar do SUS (Sistema Único de Saúde) ofertar esse tipo de procedimento, para o parlamentar há uma lentidão nessa fila.

Durante discurso na Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), na manhã desta terça-feira (8), o deputado Mecias de Jesus (PRB) falou sobre um projeto de lei, de autoria própria, que determina ao Estado a realização de cirurgia plástica reparadora da mama, nos casos de mutilação total ou parcial decorrente de câncer, bem como cirurgia de Mamoplastia Redutora em casos de seios excessivamente grandes.

A proposta, segundo ele, atingirá muitas mulheres que sofrem com câncer ou pelo desenvolvimento excessivo das mamas. Apesar do SUS (Sistema Único de Saúde) ofertar esse tipo de procedimento, para o parlamentar há uma lentidão nessa fila e, com a lei aprovada, o Estado passaria a ter essa obrigação de realizar as cirurgias reparadoras. “Se, tecnicamente, for possível fazer imediatamente após a cirurgia, ou que seja, em tempo hábil, logo após ter as condições técnicas para isso”, sugeriu Mecias de Jesus.

Em relação a redução de seios, os problemas de saúde apontado pelo deputado são inúmeros, entre eles problemas na coluna, a autoestima baixa, abrindo caminhos para depressão. “Isso não é para fins estéticos, muito pelo contrário, isso vai servir para saúde da mulher e o Estado tem condições de fazer isso”, enfatizou o parlamentar. No mercado, disse ele, esse tipo de procedimento chega a custar entre R$ 20 a 30 mil e muitas mulheres não tem condições de pagar.

O líder do Executivo na Assembleia, deputado Brito Bezerra (PP), em aparte, declarou que há dois anos apresentou uma indicação ao Executivo na tentativa de que Roraima recebesse uma máquina para realização de radioterapia para atender aos portadores de câncer, dentro do próprio Estado. Com esse equipamento, reduziria a necessidade de encaminhamentos por TFD (Tratamento Fora de Domicílio) para outros Estados.

Essa lembrança, segundo ele, surgiu para ressaltar a importância de que essas pessoas recebam um tratamento completo sem sair de perto da família. “Se tivermos essa possibilidade de identificarmos e tratarmos essa doença aqui mesmo no Estado, de forma humanizada, e ainda reparar esses danos, com a celeridade necessária, seria ideal para muitos pacientes portadores de câncer”, ressaltou Brito, parabenizando a iniciativa de Mecias de Jesus.

Flamarion Portela (PDT) destacou o compromisso que o colega parlamentar tem com as mulheres do Estado. “Temos aqui um conjunto de profissionais da nossa medicina que são absolutamente capacitados, comprometidos, mas temos que reconhecer que, às vezes, faltam equipamentos e estrutura adequada para que eles possam desenvolver decentemente os trabalhos”, colaborou.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR