Melhorar o raciocínio lógico, desenvolver a criatividade, evoluir o aprendizado e equilibrar a concentração na sala de aula. Essas são algumas das justificativas e benefícios que motivaram o deputado Mecias de Jesus (PRB) a apresentar projeto de lei que dispõe sobre a implantação do projeto Xadrez na Escola, em unidades de ensino públicas e privadas de ensino fundamental e médio.

O parlamentar explicou que o Xadrez na Escola será um complemento educacional, inserido na disciplina Educação Física e o desenvolvimento da proposta, quando aprovada, ficará a cargo da Polícia Comunitária e de Direitos Humanos (COPCDH), parte integrante da estrutura organizacional da Polícia Militar (PMRR). Os espaços para a realização dos jogos serão de responsabilidade das unidades de ensino, ainda conforme a projeto.

“A ideia surgiu após contato com policiais militares que já ministram ou ministraram aulas de xadrez em algumas escolas do Estado. Após a troca de informações, chegamos à conclusão de que deveríamos propor uma lei no sentido de inserir no calendário estadual das escolas públicas e privadas, a obrigatoriedade, da aula de xadrez”, explicou Mecias de Jesus.

“O Estado vai capacitar professores e policiais militares, para que possam ministrar essas aulas. Estamos ainda preparando orçamento para que a Polícia Militar tenha recursos para desenvolver este projeto em todas as escolas do Estado”, espera o autor da proposta.

O projeto prevê também que seja trabalhado a abordagem teórica, que levará em conta a origem do esporte como jogo, arte, ciência, regras básicas e demonstrará a importância da prática como desenvolvedor do pensamento crítico e da ética pessoal.

O projeto que poderá se tornar lei, já foi protocolado na Casa Legislativa e agora iniciará a tramitação nas Comissões Permanentes.

Na prática – Conforme o deputado Mecias de Jesus, o projeto Xadrez na Escola foi uma iniciativa da Policia Militar de Roraima e já foi executado em algumas instituições do Estado. As primeiras a receberem a atividade em 2016 foram as escolas estaduais José Aureliano da Costa e Mario Homem de Melo, no município de Cantá. Ao todo, nestas localidades o projeto chegou a atender 92 estudantes de 11 a 17 anos. Na sequência os alunos da escola Ovídio Dias, no município de Amajarí, que atendeu 50 alunos.     

Tarsira Rodrigues