O deputado Joaquim Ruiz (PODE) subiu à tribuna da Assembleia Legislativa de Roraima nesta quarta-feira, 8, para fazer um desabafo com relação a uma crítica que recebeu de uma servidora pública. A postagem publicada nas redes sociais, no entendimento dele, maculou sua imagem a população e a seus familiares. Ele afirmou não censura críticas, mas defende que sejam feitas com base em situações concretas.

“Ontem [terça-feira, 7] meu neto e meus sobrinhos me ligaram perguntando em que eu tinha me metido. Fui agredido nas redes sociais veementemente por uma técnica legislativa. Tenho 65 anos e a senhora, como técnica talvez não saiba que o deputado Joaquim tem como bandeira a área social. Essa moça postou que eu estou articulando junto ao Poder Legislativo e no Governo para montar um esquema e se beneficiar dos R$ 110 milhões [empréstimo que governo quer fazer, mas precisa da autorização da ALE/RR]. Essa moça nem percebe que as decisões que vão para a pauta são comandadas pela Mesa-diretora, pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e pelos dois líderes da Oposição e Situação”, disse com a voz embargada.

Ao falar de sua trajetória política, Joaquim Ruiz lembrou que luta para implantar o Geap (Plano de Saúde) e que articulou junto à Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima) para que os servidores do Legislativo também pudessem ser beneficiados com o programa habitacional do Governo do Estado. “Essas atitudes que tomei como parlamentar não estava olhando votos porque o servidor concursado é livre e o comissionado também. Um homem de 65 anos não tem mais sonhos, mas projetos de vida. A minha parte dos sonhos devo transferir para as gerações que me sucedem”, afirmou.

Ruiz afirmou que o maior legado que vai deixar para os descendentes diretos dele e para as gerações futuras de Roraima será na área de Educação. “Todos sabem o quanto luto para transformar o sonho de centenas de famílias do meu Estado que sonham em fazer um filho médico, mas sem condições de colocar em escolas fora de Roraima. A única coisa que estou deixando para minha família é a minha história. É duro ser cobrado nas mídias social de algo que não cometeu”, lamentou.

Para ele, a atitude foi muito leviana. “Como eu iria tomar essa atitude se eu assinei para que se faça a audiência púbica e o processo seja o mais transparente possível, para que a manhã a gente não passe o que já passamos. Se é para aprovar [o empréstimo], vamos aprovar com transparência, discutir e mostrar o que é melhor para o Estado, se é que é melhor. Fui um dos seis que assinou e sendo acusado por essa funcionária da Casa que estava cometendo ato ilícito. Aos 65 anos quero dizer, não para minha família, mas para a futura geração que o maior legado que estou deixando para a história de vocês é esse curso de Medicina com cotas de 40% para os estudantes do interior de Roraima, que vai beneficiar os estudantes e as famílias de todos os municípios. Nessas outras gerações estou incluindo os meus netos”, reforçou.

O presidente da Casa, deputado Jalser Renier (SD), ressaltou que Ruiz sempre foi um bom gestor em todos os cargos que ocupou. “Quero me solidarizar com vosso discurso. O senhor sempre foi um deputado preocupado com as causas sociais e respeitoso para com seus pares. Não tenho dúvida que o respeito que carrega no peito é a mesma admiração que temos em nossos corações pela sua humildade, os anos que está na vida pública e a representatividade que tem neste Estado”, recomendou.

Marilena Freitas