Subir ao palco e ter como espectadores milhares de pessoas, para muitos, gera um frio na barriga. Durante a edição do ‘Natal em Família’ da Assembleia Legislativa de Roraima, realizado na noite desse dia 24, no Campo Rei Pelé, alunos do Abrindo Caminhos e da turma de inglês da Escola do Legislativo passaram por essa experiência.

Pouco mais de 100 crianças, adolescentes e jovens do Abrindo Caminhos, por exemplo, das modalidades de teatro, balé e coral, apresentaram o espetáculo ‘Um Milagre de Natal’, com músicas e coreografias para contar a história de trabalhadores do sertão e suas convivências com a seca, com a esperança e o renascimento da vida.

Laiza Pires, antes de iniciar a apresentação, confessou que o coração estava ansioso, pois, para ela seria a primeira vez em que se apresentava para muitas pessoas. A energia repassada pelos amigos nos bastidores serviu, segundo a jovem, como um calmante. “Quando eles me dizem que vai dá tudo certo, eu fico mais tranquila”, pontuou.

Ela, que é aluna do teatro do Abrindo Caminhos há um ano, disse estar muito feliz com a oportunidade e que não imaginava resultar em um espetáculo como esse. “Eu pensava que era só um curso mesmo. Agora eu sei que o Abrindo Caminhos está aqui para mudar a vida de muitas crianças e adolescentes”, complementou.

Na plateia, os familiares acompanhavam de perto as apresentações dos filhos, como a dona de casa Nadira de Souza Paes, mãe da Kristyellen de Souza, estudante de teatro. Ao ver a filha no palco, se emocionou de tanta felicidade.

A escolha pelo teatro partiu da própria mãe. “Ver minha filha se apresentar é um sonho meu realizado nela”, contou. Conforme Nadira, desde que a filha iniciou na modalidade, o comportamento de Kristyellen mudou. “Ela se tornou uma pessoa dedicada e responsável em tudo que faz. Ela abraçou mesmo o teatro”, comemorou.

“Me sinto cada dia mais orgulhosa e maravilhada por minha mãe ter me incentivado. Me apaixono cada dia mais pelo teatro”, destacou Kristyellen. Com 16 anos, já pensa em seguir na área, depois, em outras companhias.

Aos nove anos, a estudante do coral, Iane Rauane Souza, subiu ao palco pela primeira vez, com o coração, como detalhou, ‘batendo nervoso’. “Só vou ficar mais calma quando eu subir no palco”, comentou. Durante a apresentação, Iane soltou a voz, desenvolvia a coreografia, sem apresentar o nervosismo contado nos bastidores.

Em um ano, o Abrindo Caminhos de Boa Vista, localizado no bairro Cambará, atendeu a mais de 1,5 mil crianças e adolescentes, de 5 a 17 anos, com atividades de Informática, Bale, Ginástica Rítmica, Jiu-jítsu, Futebol, Coral e Teatro.

Para as professoras Kaline Barroso (Teatro) e Kastorijane Oliveira (Coral), o espetáculo “Um Milagre de Natal” é o resultado de um ano inteiro de trabalho feito com carinho, dedicação e muita disciplina.

Kaline se emocionou ao lembrar de que muitos alunos entraram no teatro sem, ao menos, falar e ter contato com outras pessoas. “Esse trabalho do Abrindo Caminhos vale a pena, não só pra mim. A gente acompanhou desde o início o desenvolvimento dessas crianças e adolescentes, quem não falavam nas aulas, e hoje estão nesse espetáculo de forma tão brilhante”, disse, ao intercalar as lágrimas e sorrisos de satisfação pelo dever cumprido.

Kastorijane resumiu o evento como imensurável, pois foram meses de ensaios, de erros e acertos, apresentações. “Mesmo sendo noite de Natal, tivemos um número bem expressivo de crianças e suas famílias e que mostra que realmente todo o trabalho valeu a pena”, complementou.

A Escola do Legislativo teve representação na cantata de Natal. Um coral, formado por alunos do curso de inglês básico da Unidade Silvio Botelho, zona Oeste de Boa Vista, mostrou com “Merry Christmas”, que mesmo com pouco foram capazes de contribuir com o ‘Natal em Família’. “Coração bateu muito forte. Nunca imaginei me apresentar aqui”, confessou a estudante Steffanie Gabriele Ferreira.

Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR