Fotos: SupCom ALERR

O deputado Izaias Maia (Sem Partido) usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Roraima, durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 23, para denunciar a falta de transporte escolar adaptado para os alunos especiais que moram no Sul do Estado. Segundo ele, existe apenas um ônibus disponível para atender a demanda naquela região, e que esse quantitativo de veículo está sacrificando a qualidade de vida dos estudantes.

“Os alunos especiais não estão podendo ir para a escola por falta de transporte adaptado. Eles não conseguem se locomover, e com as chuvas, estradas e pontes abandonadas, ficam cheias de lama, quando as crianças chegam à porta do ônibus, e quando tem, só seguem viagem se o motorista estiver de bom humor para colocar as crianças no colo e guardar a cadeira. Tenho gravações dos pais de alunos desesperados pedindo ajuda”, disse o parlamentar.

“Outro grande problema no Sul do Estado, e com certeza acontece em todo o Estado, é disponibilizar apenas um ônibus para atender várias vicinais, o que leva a passar em alguns locais às três da madrugada. Crianças de 9 anos, que entram na escola às 7h da manhã, são obrigadas a ir para beira da estrada, cheia de perigo, a essa hora”, garantiu.

O parlamentar pediu ajuda aos demais parlamentares para resolver essa situação e afirmou que vai denunciar ao Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR). “Estamos investigando para saber de quem é responsabilidade para encontrar uma solução, porque há vários anos essas crianças paraplégicas moradoras do interior estão sofrendo. Pedimos ajuda ao Ministério Público, defensor do interesse do povo mais humilde”, ressaltou.

O deputado George Melo (PSDC) pediu um aparte para salientar que além da falta de transporte escolar, os alunos padecem a descontinuidade da merenda. “Não me surpreendo com essa discussão nesta Casa. Dói andar nessas vicinais e ver as pessoas reclamando deste serviço. E não é só falta de transporte escolas, mas também de merenda, e essas crianças saem muito cedo de casa. Depois de quatro anos de gestão, a governadora Suely Campos (PP) não conseguiu ver e ouvir o sofrimento dessas pessoas. Das duas uma ‘ou ela não estava no Estado, ou se fechou dentro palácio ouvindo seus amigos’. Por onde eu vou, a reclamação é geral”, complementou.

Malária – O aumento da malária, principalmente por conta do tempo chuvoso, foi outro assunto abordado pelo parlamentar, que denunciou a falta de ações nessa área por falta de profissionais, principalmente nas vicinais. “Pasmem, mas há 15 anos os agentes de saúde ou de endemias não aparecem por lá. Já morreu muita gente com malária, tem aumentado o número de casos, e não tem um agente de endemias. As pessoas, no desespero, correm para sede Rorainópolis e quando tem condições, para Boa Vista. Quem não pode, morre dentro das vicinais”, disse.

Marilena Freitas

SupCom ALERR