Pequenos atletas como Sávio da Silva, além de ampliar habilidades físicas, realizam atividades em grupo que favorecem seu desenvolvimento

 

Foto: SupCom ALERR

O programa Abrindo Caminhos levou para o tatame do Ginásio Romerinho, na Vila Olímpica Roberto Marinho, 30 atletas do município de Alto Alegre, cidade a 95 quilômetros da Capital. Na comitiva, estava Sávio Barata da Silva, autista, e que aos seis anos de idade participou de sua primeira competição, na Copa Boa Vista de Jiu-Jitsu realizada neste domingo (1º).

Segundo o pai de Sávio, Sérgio Barata, antes de chegar ao local do evento, o garoto estava ansioso pela luta e afirmou que ali receberia sua primeira medalha. “Estou gostando”, contou o menino. “Pra mim foi uma emoção quando recebi o comunicado do programa e ele falou que iria ganhar”, destacou o pai.

Com um ano e meio de treino, Sávio  demonstrou todas as habilidades no tatame e não facilitou a vida do adversário. A vitória não veio dessa vez, mas o pai reconhece a importância do esporte para inclusão do filho junto aos outros competidores.

Desta forma, segundo o pai, o programa Abrindo Caminhos contribui para qualidade de vida de Sávio e de outros alunos, com condições especiais ou não. “O programa está de parabéns porque vendo essa competição mostra o quanto o projeto está fazendo para incluir estas crianças, socializar. O Sávio está bem animado”, complementou.

O professor do Núcleo de Alto Alegre, Leandro Pacheco, reforçou que os resultados apresentados na competição mostram a seriedade do programa na região e o empenho dos alunos em aprender. “Trouxemos 30 atletas e isso é reflexo do esforço deles mesmos, que estão treinando bastante”, pontuou.

O Abrindo Caminhos, de acordo com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Jalser Renier (SD), é um programa com benefícios para os inscritos e familiares, pois valoriza o potencial de cada um. “Nós temos os melhores professores dando aula para que estes alunos tenham um resultado favorável não só nesta competição, mas no futuro. Destes competidores, certamente sairão atletas de renome nacional”.

A quarta edição da Copa Boa Vista de Jiu-Jitsu reuniu 21 academias, clubes e associações e aproximadamente 650 atletas com idades a partir dos 4 anos.

Yasmin Guedes

SupCom ALERR