Ação social da Assembleia Legislativa desenvolve potencialidades artísticas e desportivas, contribuindo com o desenvolvimento dos jovens roraimenses

 

Foto: SupCom ALE-RR

Neste ano, aproximadamente 6 mil crianças e adolescentes, de 5 a 17 anos, tiveram a vida transformada ao participar de uma das atividades ofertadas pelo projeto Abrindo Caminhos, da Assembleia Legislativa de Roraima, em Boa Vista e mais sete cidades do Interior do Estado. De janeiro até junho deste ano, aproximadamente 500 novos alunos passaram a integrar a ação.

Dentre as modalidades oferecidas pelo programa, destacam-se o balé e o futebol que em Boa Vista, por exemplo, chegam a contemplar 879 alunos. Na região Sul, na cidade de Rorainópolis, o projeto é realizado no Núcleo da Assembleia Legislativa com mais de 860 inscritos e depois da dança clássica, a segunda modalidade mais procurada é o jiu-jitsu.

E foi por essa arte marcial que o aluno rorainopolitano Ytalo Bryan, de 10 anos, conquistou o terceiro lugar no Campeonato Mundial Kids de Luta Livre, ocorrido no início de julho, na capital amazonense. Orgulho para o pai, Hélio Coelho, ao ver que mesmo com pouco tempo no programa, o menino conseguiu o pódio graças a oportunidade e ao empenho em aprender. “Ele foi bem. Competiu com outros atletas com nível mais avançado. Vamos nos preparar para o próximo campeonato”, disse ele, animado.

Na sede do programa, em Boa Vista, são executadas as modalidades de balé, jiu-jitsu, futebol, ginástica rítmica, coral, jazz, informática e teatro. Nas unidades do Interior, além destas, os munícipes contam ainda com handebol, vôlei, atletismo, futsal, zumba, violão, karatê, judô, escotismo, taekwondo e capoeira.

Conforme explica a coordenadora do Abrindo Caminhos, Viviane Lima, o programa tem a finalidade de promover estímulos e desenvolver as potencialidades individuais dos alunos. “Oferecemos atividades extracurriculares, no contra turno escolar, e que de certa forma contribuem com o desenvolvimento social, econômico, cultural e educacional das crianças e dos adolescentes”, resumiu.

Atualmente, a equipe que executa o projeto é composta por 50 profissionais divididas nas áreas administrativa, de instrutores e equipe multidisciplinar. “Tirar a criança e o adolescente da ociosidade e oferecer algo positivo, em que ele se descubra, se interesse e se realize quem sabe até profissionalmente, é muito importante. Esse é o nosso objetivo”, frisa Viviane Lima.

Yasmin Guedes

SupCom ALERR