Projeto orienta servidores e alunos sobre o que é o tráfico de pessoas e como combater este tipo de crime

 

Foto: SupCom ALERR

O projeto Educar é Prevenir já está se preparando para atender novas escolas neste semestre, a partir de agosto, para levar a alunos e professores, informações importantes para o combate ao tráfico de pessoas. A primeira edição do projeto, encerrada neste mês, atendeu a 23 escolas estaduais no período de um ano, sendo 18 na Capital e cinco no interior do Estado.

O Educar é Prevenir é desenvolvido pela Procuradoria Especial da Mulher por meio do Núcleo de Promoção, Prevenção e Atendimento às Vítimas de Tráfico de Pessoas, vinculado à Assembleia Legislativa. Cada escola recebe ações realizadas ao longo de uma semana incluindo a capacitação dos professores e outros servidores da escola, para que eles sejam multiplicadores das informações sobre o assunto. Ao final é realizada uma grande roda de conversa para troca de experiências e aprendizados.

 “A equipe do projeto Educar é Prevenir faz uma avaliação positiva dos trabalhos realizados, não somente por termos atendidos vários alunos, mas porque também recebemos diversas denúncias relacionadas ao tema, as quais foram encaminhadas para as autoridades competentes”, disse Glauber Batista, que integra a equipe do Núcleo.

Ele informou que as escolas interessadas em participar do projeto já podem fazer a solicitação. “Vamos receber os pedidos, fazer a triagem das escolas e em seguida levaremos a lista à Secretaria Estadual de Educação para que seja elaborado um novo cronograma”, explicou.

As escolas interessadas devem entrar em contato por meio do telefone 3624-8073 ou entrar em contato diretamente com o Educar é Prevenir, localizado na avenida Capitão Júlio Bezerra, nº 193, sala 5, Centro.

Marilena Freitas

SupCom ALERR