Moradores amargam prejuízos e temem ficar isolados devido à precariedade da malha viária da região

 

As reclamações de moradores de Uiramutã, a 329 quilômetros da Capital, motivaram uma inspeção pelo programa Fiscaliza Roraima, da Assembleia Legislativa. Após solicitação da deputada Ione Pedroso (SD), uma equipe de técnicos esteve no município neste fim de semana (06 e 07), para mapear as pontes de madeira e os 90 quilômetros de extensão da estrada que não têm pavimentação.

A vistoria passou por 24 pontes, algumas destruídas. Sobre a estrada, que é de piçarra, em muitos trechos a trafegabilidade está gravemente prejudicada. As informações apuradas serão detalhadas em relatório, que deverá ficar pronto em até cinco dias.

O documento, com fotos e depoimentos de moradores, será entregue à Superintendência Geral da Assembleia Legislativa, e posteriormente encaminhado às comissões permanentes. “Com o relatório em mãos, os deputados poderão formular indicações ao Governo do Estado solicitando medidas que solucionem os problemas”, explicou a coordenadora do Fiscaliza Roraima, Odalene Dantas.

Por causa das condições da estrada, a viagem até o município de Uiramutã, pode durar até sete horas, em média. As pontes quebradas e rodovias intransitáveis dificultam o escoamento da produção das 128 comunidade indígenas da região. O temor é que a situação se agrave com o início das chuvas. Em anos passados, o município já chegou a ficar completamente isolado.

Segundo Jorlindo Batista, tuxaua da comunidade indígena do Pavão, a recuperação de estradas e pontes é uma reivindicação antiga da população. “As pontes estão se acabando. Onde foi parar o dinheiro que deveria ser usado para resolver esse problema?”, questiona.

FISCALIZA RORAIMA – O programa Fiscaliza Roraima é uma iniciativa da Superintendência de Fiscalização da Assembleia Legislativa cuja finalidade é receber demandas da população sobre a qualidade dos serviços oferecidos pelo Governo do Estado e prefeituras.

A sede do programa fica localizada na rua Agnelo Bittencourt, nº 432, no centro de Boa Vista e funciona de segunda a sexta-feira, em horário comercial. As denúncias também podem ser enviadas pelo telefone 4009-4835, pelo número de WhatsApp 98402-1735 ou pelo site fiscalizarr.com.br.

Texto: Otacílio Monteiro

Foto: Lucas Almeida

SupCom ALE-RR