Deputados estaduais levaram ao evento problemas existentes em Roraima e esperam apoio do Governo Federal

Na semana passada, onze deputados representaram a Assembleia Legislativa de Roraima na assembleia geral do Parlamento Amazônico em Manaus (AM). Entre eles, Coronel Chagas (PRTB), que em discurso na tribuna desta terça-feira (24), apresentou as pautas levadas pelos parlamentares a este encontro.

O Parlamento Amazônico é uma instituição que agrega 251 deputados da região Amazônica, estados do Norte, mais Maranhão e Mato Grosso. “Falamos sobre os impactos da crise migratória na Saúde, Educação, Segurança, na busca por emprego. Falamos que esses impactos custam muito para o Estado e que essa conta é para ser paga pelo Brasil”, explicou Coronel Chagas.

O deputado destacou o trabalho desenvolvido pelo Exército Brasileiro por meio da Operação Acolhida, mas pontuou que esta ação atende a uma parcela mínima de estrangeiros que entram pela fronteira do Estado em fuga da crise humanitária no país vizinho. Ele lembrou da participação do Brasil em missões humanitárias em várias partes do Mundo e que, com isso, foi investido recursos em militares. “O Brasil gastou bilhões em outros continentes e hoje estamos com problemas dentro de casa”.

Diante das colocações, complementou Coronel Chagas, na reunião do Parlamento Amazônico foi pedida a criação de um Ministério Extraordinário para cuidar diretamente dos impactos da imigração, com gabinete instalado em Roraima e dotação orçamentária própria. “Esse encaminhamento foi aprovado pela maioria dos deputados e vamos aguardar”.

Texto: Yasmin Guedes
Foto: Lucas Almeida