A escola é um lugar onde se adquire conhecimento. Além das fórmulas, números e textos, é importante conversar com os jovens sobre o papel de cidadão. Por isso, na manhã desta quarta-feira (30), estudantes do Ensino Médio na Escola Estadual América Sarmento foram orientados sobre o programa Fiscaliza Roraima, iniciativa do Poder Legislativo responsável por verificar os serviços prestados à população.

O diretor do Fiscaliza Roraima, Marcelo Moreira, destacou que sensibilizar a garotada sobre seus direitos contribui para uma sociedade bem informada. Segundo ele, quanto mais as pessoas souberem sobre o programa, maior será o número de cidadãos fiscalizadores. “Nós estamos com um trabalho intenso de divulgação. É importante estar no conhecimento de cada um, para que eles acionem o programa. Isoladamente a gente não tem a capacidade de ter o problema resolvido”.

Esta foi a primeira vez que a estudante Gerliane Moraes, de 18 anos, ouviu sobre o Fiscaliza Roraima. Atenta, ela já sabe como reivindicar quando um serviço não estiver sendo prestado corretamente. “Assim, a gente fica mais atualizado sobre a nossa escola, e pode fiscalizar também, porque é um dever nosso como cidadão.”

O gestor da instituição, Edinei Lima, ressaltou como essas orientações ajudam os estudantes a serem mais conscientes sobre seus direitos. “É uma forma de eles acompanharem o recurso público empregado a eles, de aprender a também fiscalizar o dinheiro público e a prestação dos serviços.”

Direitos do consumidor

Nesta quarta-feira (30), os atendidos pela Defensoria Pública do Estado também foram orientados, mas sobre o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e os serviços oferecidos pelo Procon Assembleia, como a consulta ao saque do FGTS (Fundo de Garantia de Tempo de Serviço).

Nas orientações repassadas pelo advogado do órgão, Josimar Batista, a dona de casa Alessandra Sanches descobriu que pode buscar informação sobre o abono em outro lugar sem ser na Caixa Econômica Federal. “Eu não sabia sobre o FGTS, e agora com a palestra eu soube que a gente também pode se informar no Procon Assembleia.”

Texto: Bárbara Araújo

Foto: Alfredo Maia

SupCom ALE-RR