Em um papel em branco o estudante Daniel dos Santos, foi dando pouco a pouco forma a imagem de um índio com detalhes que remetem à etnia Macuxi. As cores e formas foram escolhidas por ele e mais quatro alunos da Escola do Legislativo para colorir o muro do Abrigo Pintolândia, da Operação Acolhida, durante a 6ª edição do Grafita Roraima.

Essa é a primeira vez que os alunos do curso de grafite da Escola do Legislativo participam do evento, que é promovido tradicionalmente pelo curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Roraima (UFRR). Para Daniel, a Escola do Legislativo abriu as portas para a arte. “É a primeira vez que participo de um evento que valoriza os artistas locais, e a Escola do Legislativo foi de fundamental importância nesse processo”, destacou.

O professor da Escola do Legislativo, Ricardo Aguiar, incentivou os alunos a participarem do Grafita Roraima para mostrarem a arte que desenvolvem. “Os garotos são talentosos, aprenderam as técnicas, mas já dominavam a arte de desenhar. Estamos revelando novos artistas locais”, afirmou.

A Escola do Legislativo continuará a incentivar a cultura local. Essa notícia foi dada pela diretora da Instituição, Cristina Mello, durante o evento. “Vamos ter o segundo módulo desse curso e para quem deseja conhecer essa arte, também teremos turmas para iniciantes”, afirmou.

A Escola do Legislativo fica localizada na rua Solon Rodrigues Pessoa, 1313, bairro Silvio Botelho. Mais informações pelo telefone 98402-3402.

Grafita Roraima

O evento promovido por estudantes da Universidade Federal de iniciou na última quinta-feira (14) e segue até este domingo (17) com a exposição dos grafites e as pinturas produzidos por artistas locais e venezuelanos no Muro do Abrigo do Pintolândia, próximo à praça Germano Sampaio.

Nesta edição o Grafita Roraima trabalhou o tema “Migração e Miscigenação Cultural”. Além dos artistas locais também participaram as artistas convidados: Javier Alexander Di Muro González (Venezuela); Victor Hernan Rodriguez Duran (Venezuela) e Gabriela Sousa Campelo (Macapá/Brasil).

Texto: Sueda Marinho

Foto: H. Emiliano

SupCom ALE-RR