Na primeira fase da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energia,  foram ouvidos representantes dos Procons da Assembleia Legislativa, Estadual, Municipal, e da Delegacia de Defesa do Consumidor do Estado. As testemunhas foram questionadas sobre as principais demandas que chegam aos órgãos e como é feita a mediação das reclamações dos consumidores junto à Roraima Energia.

As oitivas ocorreram na sala de reuniões da Assembleia Legislativa, na tarde desta quarta-feira (4), mediadas pela presidente da CPI da Energia, deputada Betânia Almeida (PV) e acompanhada dos deputados Gabriel Picanço (Republicanos), Lenir Rodrigues (Cidadania), Eder Lourinho (PTC) e Evangelista Siqueira (PT).

Entre as principais reclamações da população aos órgãos está o aumento exponencial do valor das faturas de energia, e sobre a troca de medidores de energia nas residências.

Segundo o diretor do Procon Assembleia, Jhonatan Rodrigues, de janeiro a outubro deste ano, o órgão realizou 1.774 atendimentos relacionados à tarifa de energia. “Normalmente as reclamações dos consumidores referem-se ao crescimento abusivo da fatura de energia”, relatou.

Segundo a presidente da CPI, Betânia Almeida, a comissão está colhendo informações que levarão a respostas sobre os serviços de energia à população. “O primeiro passo será diminuir essa conta de energia que é o que tem tirado o sono da população, em seguida daremos os demais passos até chegar em Jatapu, CERR e demais”, afirmou.

Para a relatora da CPI, Lenir Rodrigues, os depoimentos irão materializar a insatisfação da sociedade com relação a questão do fornecimento de energia no Estado. “Vamos continuar ouvindo testemunhas desses fatos, para poder ter um relatório preliminar e tomar as providências cabíveis dentro da CPI”.

A próxima oitiva está prevista para esta quinta-feira, dia 5, após a sessão parlamentar na Assembleia Legislativa de Roraima, quando outras duas testemunhas serão ouvidas.

Texto: Jéssica Sampaio

Foto: Isaias Amaral

SupCom ALE-RR