Neste domingo (26) é celebrado o Dia dos Avós, data que enaltece o amor entre duas gerações, avós e netos. Muitas vezes, além de dar amor, avôs e avós assumem uma missão extra: a de ter papel fundamental na criação e na realização dos sonhos dos netos. Um exemplo disso é Domingas Ferreira, de 59 anos, que incentiva a neta Adriely de Souza, de 11 anos, no sonho de dançar balé, no programa Abrindo Caminhos, da Assembleia Legislativa de Roraima.

Além da Adriely, a avó ainda cuida de três netos entre 7 e 14 anos de idade, com ajuda do esposo. O casal mora em uma casa no bairro Asa Branca há 33 anos. A avó conta que desde pequena a neta desejava ter aulas de balé, mas havia um obstáculo para essa concretização. “Ela sempre sonhava em fazer balé. Aí ela dizia: ‘vó eu quero fazer balé’. Eu dizia, minha filha, eu não tenho condições de pagar essa aula para você.”

Até que a avó soube por meio de uma amiga sobre as aulas gratuitas no Abrindo Caminhos, e sem perder tempo pediu para a mãe da Adriele matricular a filha nas aulas. Antes da pandemia, a avó acompanhava a neta nas aulas presenciais pela tarde. “Ele realizou o sonho dela e o nosso sonho também.”

Há três anos, Adriely dança balé no programa Abrindo Caminhos, e contou que gosta dos professores, das aulas e principalmente de pisar no palco para se apresentar ao público. Para vivenciar tudo isso, a menina disse que a avó é o maior incentivo na dança e na vida. “Ela significa tudo para mim, porque me criou desde pequeninha.”

Amor em dobro

Quem também acompanha de perto as netas nas aulas do programa Abrindo Caminhos é Socorro Marques. As netas Ana Mota e Isabela Mota, ambas com 11 anos, estão inscritas no jazz. “O programa Abrindo Caminhos trouxe um espaço para as minhas netas, para as crianças que precisam. Tô grata por isso, pelas minhas netas, amo demais.”

Para a Socorro Marques é um privilégio ser avó e ainda cuidar das netas desde que elas eram bebês. “É um amor dobrado. É ser mãe duas vezes. Porque elas são meninas carinhosas, atenciosas, acima de tudo inteligentes. Elas me têm como mãe e vó mesmo.”

Carinho, amor e atenção são as qualidades destacadas por Ana Mota, emocionada ao falar sobre a avó. “Ela cuidou de mim quando eu mais precisei, então para mim ela é a minha mãe. Uma heroína. Ela sempre esteve ao meu lado, em todos os tempos. Quando eu fiquei ruim, quando precisei de atenção, ela que esteve ao meu lado.”

Enquanto Maria Isabella descreveu que a avó é um pouco nervosa, porém muito divertida e engraçada. “Ela significa muito para mim. Muito legal. Desde pequena cuida da gente. Ela dá a vida dela por nós.”

Texto: Vanessa Brito

Foto: Jader Souza  

SupCom ALE-RR