Hoje (19) é celebrado o Dia Mundial de Doação de Leite Humano. A Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) desenvolve políticas públicas de incentivo a essa causa. Esse ato solidário ajuda no desenvolvimento dos bebês internados na maternidade, que necessitam dessa alimentação nos primeiros meses de vida.

O amor é o sentimento descrito pela jovem Damaris da Silva, de 23 anos, quando se trata do ato de doar leite humano para os pequenos pacientes no Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazaré (HMINSN). Ela é mãe da Maitê Jully, de quatro meses, e da Hanna Jhulye, de 3 anos.

“Tem que doar para saber que é bom. Além de eu estar ajudando um filho em casa, estou ajudando outras crianças prematuras da UTI [Unidade de Terapia Intensiva]”, explicou Damaris, que pratica a ação há três meses.

O sentimento de dividir o leite materno com outras crianças surgiu quando se tornou mãe pela primeira vez.  “O que me incentivou a doar foi ver as criancinhas recebendo o leite na sala de pós-parto. Tinha um bebezinho que não pegava o peito da mãe de jeito nenhum. A cada dia que passava, estava perdendo peso e as enfermeiras usavam uma seringa com leite para alimentá-lo”, contou.

Para expandir esse ato solidário, a deputada Tayla Peres (PRTB) apresentou duas indicações parlamentares ao Governo de Roraima nesta semana. A primeira solicita a implantação do Banco do Leite Humano no município de Rorainópolis, considerando que houve recentemente a inauguração da Maternidade Thereza Monai Montessi.

A parlamentar justificou que a região precisa ter essa unidade de armazenamento para atender os bebês na região, sem precisar depender do Banco de Leite Humano da Maternidade, localizado na Capital.

“Essa é a intenção, de não precisar vir até Boa Vista. Vai salvar vidas e atender não apenas a população de Rorainópolis, mas todo o Sul do Estado”, justificou.

A segunda indicação pede a extensão do programa Amigos do Peito, um projeto do Hospital Materno e do Corpo de Bombeiros Militar de Roraima (CBMRR), para o município de Rorainópolis, a fim de atender mais crianças.

LEIS EM VIGOR

O parlamento roraimense tem trabalhado políticas públicas voltadas para a doação do aleitamento materno. A Lei nº 1.413/2020, de autoria da deputada Angela Águida Portella, institui o 1º de agosto como o Dia Estadual do Aleitamento Materno em Roraima. Conforme a legislação, anualmente o Estado, durante uma semana, tem que envolver a comunidade para discutir o tema.

A outra Lei nº 175/97, proposta por três ex-parlamentares: Rosa Rodrigues, Zenilda Portella e Célio Wanderley, determina que o Poder Executivo promova campanhas educativas sobre esse ato solidário. Essa lei também regula as atividades do Banco de Leite Humano.

O que é preciso para doar leite humano?

Um dos principais requisitos para ser doadora de leite materno é querer ser útil fazendo a doação. Em seguida ter uma produção de leite maior do que as necessidades do próprio filho e gozar de boa saúde. Quem deseja doar e ainda tem dúvidas, pode entrar em contato com o Banco do Leite humano da Maternidade Nossa Senhora de Nazaré, através do telefone (95) 98414-0772.

Como doar frascos para o armazenamento?

Qualquer pessoa pode contribuir com o Banco de Leite Humano. Se não pode doar o alimento, a unidade de saúde recebe frascos que servirão para o armazenamento do produto. Os frascos a serem doados devem ser de vidros e com tampa plástica e deixados na recepção da Maternidade, em Boa Vista.

Texto: Vanessa Brito

Supcom ALE-RR