Pular para o conteúdo

COOPERAÇÃO TÉCNICA
CPI da Saúde recebe relatório da Polícia Civil sobre dados telefônicos e bancários de investigados

Nesta terça-feira (26), a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), recebeu o relatório da Polícia Civil referente aos dados telefônicos e bancários dos investigados envolvidos nos contratos da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde). Com esse documento, poderão ser concluídos os trabalhos de apuração.

Em março deste ano, a CPI encaminhou três volumes de processos à Polícia Civil. Os documentos tratam dos dados obtidos após a quebra dos sigilos telefônico, fiscal e bancário de dez investigados, dos quais sete empresas e três pessoas físicas.

Na reunião, o presidente da comissão, Coronel Chagas (PRTB), entregou o relatório para o relator Jorge Everton (Sem partido). “Para analisar e verificar se há necessidade de alguma oitiva ou solicitar algum documento. Ele fará isso em um prazo de sete dias”, explicou.

Coronel Chagas adiantou que, se não houver pendências com base na análise do relator, na próxima reunião será definido um prazo para a conclusão do relatório da CPI.

“Com certeza, no relatório que será apresentado por Jorge Everton, deveremos ter diversos indiciamentos de pessoas que foram comprovadamente nos autos responsáveis por irregularidades em contratos”, adiantou.

Everton explicou que a análise da Polícia Civil fará parte do relatório da comissão. “A partir de agora, teremos um direcionamento final. Sem essas informações, não teríamos como concluir. Agora, iremos apresentar o nosso relatório para que a CPI vote e submeta ao plenário”, disse.

Ainda na reunião, o vice-presidente Nilton Sindpol (Patri) destacou que o trabalho da CPI mostra que o Poder Legislativo roraimense está atento e fiscalizando os recursos públicos. Ele ainda elogiou a Polícia Civil, que analisou os processos, fruto de um acordo de cooperação técnica.

“Eles não colaboraram apenas com o Poder Legislativo, mas também com a sociedade do Estado de Roraima que paga o nosso salário, como sempre digo”, destacou.

Ainda na reunião, o deputado Renato Silva (Pros) relembrou que apresentou um requerimento na Assembleia Legislativa em 2019, solicitando a abertura da CPI para investigar possíveis irregularidades na Sesau. Ele disse que uma das demandas se tratava de uma denúncia referente à empresa Coopebras.

“Um contrato que tinha mais de 15 anos em Roraima, que era no valor de R$ 11 milhões, e, no primeiro momento, conseguimos baixar para R$ 7 milhões. Depois, teve o cancelamento”, contou.

CPI da Saúde

A comissão começou os trabalhos de apuração dos contratos da Sesau em 2019. A CPI já realizou 84 reuniões, ouviu mais de 90 pessoas, entre testemunhas e investigados, e analisou mais de 40 contratos, conforme informou o presidente da comissão, Coronel Chagas.

 

 

Texto: Vanessa Brito

Foto: Nonato Sousa

SupCom ALERR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0