Pular para o conteúdo

DESAFIOS
Deputado Nilton Sindpol parabeniza servidores e cobra do governo reposição salarial

O Dia do Servidor Público, comemorado nesta quinta-feira (28), foi destaque no discurso do deputado Nilton Sindipol (Patri), que falou sobre o desafio de pertencer à categoria sem revisão geral anual desde 2016, diante de uma inflação exorbitante. Ao mesmo tempo em que parabenizou os servidores, ele cobrou do Executivo a reposição salarial. Outros parlamentares, em aparte, também fizeram considerações acerca do tema.

“Os combustíveis são o termômetro do aumento dos preços de todos os itens que compõem a cesta básica. Os servidores do Poder Executivo estão sem ter a revisão anual geral há seis anos. Isso significa que eles, mês a mês, têm o seu poder de compra reduzido. A inflação acumulada, apenas de 2021, até setembro, foi de 6,7%. O servidor é o óleo da máquina pública e deve ser reconhecido pelo seu trabalho”, criticou.

Ele pediu ao governador de Roraima, Antonio Denarium (PP), que se sensibilize com a causa dos servidores e faça como a administração municipal.

“Quero parabenizar o prefeito da capital [Arthur Henrique, MDB], que como gestor sensível e responsável concedeu aos servidores municipais uma revisão anual de 9,2%. Eu, da base do governo, acredito que nosso governador vai seguir na mesma linha”, ressaltou, ao afirmar que acredita que o Governo do Estado anuncie a reposição nesta quinta-feira durante a festa do servidor.

O deputado Diego Coelho (PTC) corroborou dizendo que o Dia do Servidor não será de comemoração.

“Só damos parabéns porque é o servidor que carrega o Estado. Eles são mais comprometidos que o Executivo. Quero aproveitar e parabenizar os servidores, agentes de saúde, professores e policiais e todos os que carregam o nosso Estado”, disse.

O deputado Jeferson Alves (PTB) fez duras críticas à falta de reconhecimento ao servidor público.

“Infelizmente, não temos o que comemorar nesta data tão especial, porque pagar o salário em dia é uma obrigação do governo. E quero deixar claro que essa Casa nunca fugiu de seu papel, de aprovar leis em benefício do servidor do Estado”, lembrou.

O deputado Jorge Everton (sem partido) fez uma retrospectiva do trabalho do servidor e ressaltou que essa classe é apenas lembrada quando, por força das relações sociais adversas, se exige a presença desses profissionais.

“O servidor da saúde só foi lembrado em razão da pandemia, porque as pessoas estavam morrendo e precisavam de assistência. Assim como os da segurança pública que estavam nas delegacias e fazendo ronda. Temos pouco a comemorar e não dá para comparar o governo passado com o atual. O presente que os servidores ganharam este ano foi o aumento na alíquota da contribuição previdenciária”, lembrou, ao salientar que precisa ser feito urgente um concurso público para a Polícia Civil.

A deputada Angela Águida (PP) disse que é papel dos deputados falarem em nome do servidor, mas que, apesar de discordar do posicionamento dos colegas, respeitava.

“Não temos uma realidade que contemple todo mundo, mas temos que entender o momento pelo qual o Brasil está passando. Há três anos, os servidores estavam com os salários atrasados e o Estado passando por uma situação difícil. Sei que é obrigação do governo pagar em dia, mas nunca foi feito com tanto carinho”, afirmou ao ressaltar que o Executivo está reformando as secretarias e dando mais condições de trabalho ao servidor.

Angela e o deputado Renato Silva (Sem partido) sugeriram que a revisão anual seja colocada na Lei Orçamentária. “Ano passado, quando votamos, deveríamos ter feito essa previsão. Agora temos que também colocar na próxima votação, para que atenda essa necessidade ano que vem”, argumentou a parlamentar.

Texto: Marilena Freitas

Foto: Tiago Orihuela

SupCom ALERR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0