Esse reconhecimento é resultado de um projeto de lei apresentado na Casa Legislativa pelos deputados George Melo e Jalser Renier.

Profissionais da área tecnológica em Agroecologia têm, desde o início deste mês, a oportunidade de exercer o serviço público inseridos nos quadros das administrações diretas e indiretas do Estado, devido a promulgação pela Assembleia Legislativa de Roraima da Lei nº 1.201/17, que define a criação de vagas para estes graduados.

A lei assegura nos PCCRs (Planos de Cargos, Carreiras e Remunerações) a destinação de vagas aos graduados em Tecnólogo em Agroecologia, atualmente oferecido pela Universidade Federal de Roraima (UFRR), por intermédio da Escola Agrotécnica (Eagro). Os tecnólogos, segundo define a legislação no artigo 3º, “exercerão suas atividades junto aos órgãos públicos estaduais voltados à produção agropecuária”.

Esse reconhecimento é resultado de um projeto de lei apresentado na Casa Legislativa pelos deputados George Melo (PSDC) e Jalser Renier (SD). Conforme explicou um dos autores, essa necessidade foi apresentada por muitos profissionais que tem a esperança de fazer parte do Poder Público.

“O que eu percebi, de imediato, é que o grande conhecimento desse profissional não é só na questão do plantio, mas também na condição de comercializar esses produtos, com sabedoria, com tecnologia”, contou George Melo, após conversar com pessoas ligadas ao setor. Deu como exemplo o estado de Rondônia, onde esses tecnólogos ajudam os produtores com a análise de solo, calcário, plantio e até mesmo com a utilização de pesticidas para afastar pragas das plantações.

“Isso aí a gente não tem em Roraima, mas o Estado tem opção de fazer um concurso e convocar os técnicos para valorizar as pessoas, o produtor da agricultura familiar e, principalmente, a população de Roraima”, afirmou, dizendo que dessa forma trará mais condições de uma produção saudável e de preço acessível a todos.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR