A deputada estadual Tayla Peres (PRTB) apresentou um projeto de lei na Assembleia Legislativa que busca dar autonomia para as gestantes na hora do parto. A proposta, segunda ela, é que as mulheres possam escolher entre parto cesáreo ou normal na rede pública de saúde. O texto acrescenta que caso a escolha seja pelo nascimento natural, que a mãe tenha direito a medicamentos que inibam a dor.

A parlamentar explica que muitas mulheres reclamam por ter que passar horas sentindo dor para ter um parto normal, ainda que não queriam. “A mulher tem que ter voz na hora do seu parto”, disse Tayla Peres.

Ela ressalta que segundo uma resolução do Conselho Federal de Medicina, o médico deve atender à vontade da gestante de realizar parto cesariano, garantida a autonomia do profissional, a partir das 39 semanas de gestação, se não houver riscos à saúde do bebê e da mãe. Mas, segundo ela, isto não é respeitado no Hospital Materno-Infantil do Estado.

“Claro que tem as orientações médicas, mas que ela possa escolher ter o seu direito garantido. As mulheres estão cada vez mais ganhando espaço, e não seria diferente na hora do parto”, explicou a deputada.

O projeto esclarece que em discordância do desejo da paciente, o médico poderá encaminhar a gestante para outro profissional. Agora o texto segue para análise das comissões da Casa, e se aprovado, irá para votação em plenário.

Texto: Bárbara Araújo

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR